sicnot

Perfil

Desporto

Campeão Murray cai nos quartos de final de Wimbledon

Andrew Couldridge

O tenista britânico Andy Murray, campeão em título, foi esta quarta-feira eliminado nos quartos de final de Wimbledon, terceiro torneio do Grand Slam da temporada, ao perder com o norte-americano Sam Querrey.

O número um mundial, que venceu o major londrino em 2013 e 2016, perdeu com Querrey, 28.º do ranking, por 3-6, 6-4, 6-7 (4-7), 6-1 e 6-1, em duas horas e 43 minutos, falhando pela segunda vez nos últimos nove anos a presença nas meias-finais.

Esta derrota pode custar a liderança da hierarquia mundial a Murray, que pode ser ultrapassado pelo sérvio Novak Djokovic, caso este vença o torneio de relva londrino - Nole defronta ainda hoje o checo Thomas Berdych.

Querrey, que nunca tinha chegado às meias-finais de uma prova do Grand Slam, vai defrontar o vencedor do encontro entre o luxemburguês Gilles Muller, 16.º cabeça de série, e o croata Marin Cilic, sétimo.

O gigante Querrey, de 1,98 metros, é o primeiro norte-americano a chegar às meias-finais de um torneio do Grand Slam desde 2009, quando Andy Roddick também chegou a esta fase em Wimbledon.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50