sicnot

Perfil

Desporto

Clube da 7ª divisão inglesa vai pagar salários iguais ao plantel masculino e feminino

O clube inglês Lewes FC anunciou esta quarta-feira a intenção de pagar salários iguais aos plantéis masculino e feminino de futebol, tornando-se no "primeiro clube profissional ou semi-profissional" a fazê-lo na modalidade.

Segundo o comunicado do emblema, que milita no sétimo escalão do futebol masculino inglês e no terceiro patamar feminino, a medida surge no âmbito da campanha "Equality FC", criada pelo clube para "sensibilizar para a desigualdade de género no futebol" e encorajar mais apoios para o futebol feminino.

Para conseguir o objetivo, o clube de Sussex comportou os primeiros custos e explicou que vai continuar a recolher fundos através de "patrocinadores e donativos", bem como a venda de ações do clube.

Uma das diretoras do clube, Jacquie Agnew, explicou que a iniciativa abrange ainda os fundos disponibilizados para a equipa técnica, o treino e as infraestruturas, com a ambição de "catalisar uma mudança no Reino Unido que ajude a por um fim às desculpas para esta disparidade profunda de pagamento".

"Todos os dias vejo a paixão e a dedicação que as nossas atletas têm pelo jogo, e tenho a certeza que isto acontece em todo o país. Para as jogadores, ter as mesmas recompensas que os homens, pelo mesmo trabalho, é um fantástico salto em frente e um sinal poderoso", acrescentou o técnico da equipa feminina, John Donoghue, enquanto o treinador do plantel masculino, Darren Freeman, disse que os adeptos "querem que a equipa ganhe independetemente do género" e que "todos merecem a mesma oportunidade e recompensas".

A medida do Lewes, que inclui ainda um investimento nas infraestruturas do clube, visa ainda apoiar o futebol de formação local para "levar a participação igual, entre raparigas e rapazes, no futebol".

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC