sicnot

Perfil

Desporto

Vladimir Putin corta apoios a atletas e treinadores envolvidos em doping

MICHAEL KLIMENTYEV / SPUTNIK / KREMLIN POOL

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou este sábado um decreto que determina que os atletas e treinadores que tenham recorrido a doping perdem o direito a receber a denominada "subvenção presidencial".

Este e outros subsídios estatais são fundamentais para a prática profissional de muitos desportos sem força comercial, pelo que esta medida é aguardada como uma forte ajuda na luta contra o doping.

Um relatório do advogado canadiano Richard McLaren, encomendado pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), deu conta de que mais de mil atletas olímpicos russos estavam envolvidos ou beneficiaram de manipulação de resultados às análises recolhidas entre 2011 e 2015.

McLaren e a AMA argumentaram que o Kremlin aprovou e patrocinou um programa de doping para melhorar o desempenho dos seus atletas, especialmente nas várias formas de atletismo e também durante os Jogos Olímpicos de Inverno Sochi2014.

A Rússia rejeitou sempre estas acusações e alega que as provas reunidas pela equipa de McLaren não possuem sustentação.

Um número elevado de atletas russos, na sua maioria de atletismo, foram desqualificados nos últimos meses, depois de o presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), Sebastian Coe, se ter manifestado desapontado com a falta de progressos na luta contra o doping.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15