sicnot

Perfil

Desporto

Cristiano Ronaldo ouvido por suspeita de fraude fiscal

Cristiano Ronaldo ouvido por suspeita de fraude fiscal

A audição de Cristiano Ronaldo em tribunal por suspeita de fraude fiscal começou por volta das 10h30, hora de Lisboa. Quando terminar, Cristiano Ronaldo deverá fazer uma declaração à porta do tribunal. A repórter Sara Antunes de Oliveira está em Madrid a acompanhar esta audição.

  • Cristiano Ronaldo "fintou" jornalistas na chegada ao tribunal em Madrid
    2:47

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é ouvido esta manhã pela justiça espanhola. Os advogados do jogador, que responde pela primeira vez perante as suspeitas de fraude fiscal, já chegaram ao tribunal, em Madrid. A audição está marcada para as 10h30, hora de Lisboa. Cristiano Ronaldo também está no tribunal, onde terá entrado por uma porta longe dos jornalistas, tal como deu conta a repórter Sara Antunes de Oliveira.

  • "Seria uma pena se Cristiano Ronaldo se fosse embora"
    2:35

    Desporto

    Os merengues, os adeptos do Real Madrid, estão atentos ao processo judicial que envolve Cristiano Ronaldo, depois de o jogador ter ameaçado deixar o clube. Os enviados especiais da SIC a Madrid ouviram alguns junto ao Estádio Santiago Bernabéu e a maioria diz que seria uma pena que o Real Madrid perdesse a sua maior estrela.

  • Aparato à porta do tribunal de Madrid onde Cristiano Ronaldo é ouvido como arguido
    5:49

    Desporto

    A horas da 1ª audiência enquanto arguido do internacional português já as imediações do tribunal de instrução de Alarcón, em Madrid, estavam repletas de jornalistas e pessoal técnico de comunicação social. Cristiano Ronaldo responde por quatro crimes de fraude fiscal no valor de 14,7 milhões de euros. O jogador terá de forma "consciente" e "voluntária" evitado pagar o que era suposto pelas verbas recebidas da exploração dos direitos de imagem.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25