sicnot

Perfil

Desporto

Portimonense quer "provocar uma surpresa" em Braga

LU\303\215S FORRA

O treinador do Portimonense, Vítor Oliveira, disse este sábado que quer "provocar uma surpresa" na deslocação de domingo ao terreno do Sporting de Braga, em jogo da segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol.

"Sabemos quais são os pontos fortes do Sporting de Braga, mas também sabemos quais são as suas debilidades e vamos tentar, dentro das nossas possibilidades, explorar essas situações, para tentar o melhor resultado possível. Sabemos das dificuldades, mas também sabemos que somos capazes de provocar uma surpresa", disse Vítor Oliveira.

Na antevisão à partida de domingo, o técnico salientou que o plantel do Portimonense está "motivado e confiante", depois da vitória caseira na primeira ronda, diante do Boavista, com reviravolta no marcador (2-1).

"É sempre bom trabalhar em cima de uma vitória, no primeiro jogo do campeonato e depois de estar a perder ao intervalo, isso é um fator importante. Queremos dar passos seguros", afirmou Vítor Oliveira.

O treinador dos algarvios reconheceu que o calendário "não foi muito amigo" do Portimonense na fase inicial da prova, mas que as dificuldades "vão fazer crescer" a equipa, que depois do jogo com o Sporting de Braga permanecerá uma semana no norte do país, a preparar o jogo com o Rio Ave, da terceira jornada da I Liga.

Em relação ao mercado, Vítor Oliveira salientou que a administração da SAD está a trabalhar para "fechar o plantel" com os reforços que pretende, "no mais curto espaço de tempo possível".

O jogo entre o Sporting de Braga e o Portimonense está marcado para domingo, às 18:00, no Estádio Municipal de Braga, com arbitragem de João Capela, da Associação de Futebol de Lisboa.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.