Desporto

Lewis Hamilton terá poupado 4,5 milhões na compra de jato privado

Edgard Garrido

Lewis Hamilton é o mais recente nome envolvido no caso dos Paradise Papers. O campeão mundial de Fórmula 1 terá contornado os impostos para comprar um jato privado, conseguindo assim poupar 5,2 milhões de dólares (aproximadamente 4,5 milhões de euros).

Instagram

Lewis Hamilton comprou um Bombardier Challenger 605 vermelho por 27 milhões de dólares (cerca de 23 milhões de euros), conseguindo posteriormente recuperar o IVA com a ajuda da sociedade de advogados Appleby, especializada em offshores, avança o jornal Expresso, parceiro do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ).

De acordo com a investigação, a Appleby terá imposto algumas condições ao piloto para avançar com o negócio, como por exemplo fazer uma curta paragem na Ilha de Man durante o voo inaugural do jato privado.

Hamilton terá planeado a paragem na Ilha de Man em janeiro de 2013, mas não foi possível confirmar se a paragem chegou a acontecer.

No entanto, o jornal Expresso avança que o campeão mundial de Fórmula 1 terá conseguido recuperar 5,2 milhões de dólares de IVA, com a compra do jato privado.

Os advogados de Hamilton asseguraram ao jornal The Guardian, um dos parceiros do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, que o negócio foi feito de forma legal.

A investigação Paradise Papers, realizada pelo ICIJ, divulgou também os documentos conhecidos como Panama Papers.

O novo trabalho divulgado este domingo analisou 13,4 milhões de ficheiros e expôs 127 líderes políticos de todo o mundo, empresários, artistas e futebolistas com sociedades em paraísos fiscais.

  • "A bebedeira passa, o resto não!"
    2:48

    País

    O INEM socorreu mais de mil menores em coma alcoólico, no ano passado. Por isso, os adolescentes são o alvo da campanha lançada esta sexta-feira pelo Governo: "A bebedeira passa, o resto não!"

  • Sabe que pode estar a pagar 100€ a mais na fatura do gás?
    2:29

    Economia

    A maior parte das empresas fornecedoras de gás continua a cobrar aos clientes a taxa de ocupação do subsolo ao clientes, apesar da lei dizer que deve ser paga pelas empresas desde janeiro de 2017. Cada Câmara Municipal cobra o que entende e há autarquias que não cobram nada. Em alguns casos podemos estar a falar de mais de 8 euros por mês, ou seja, mais de 100 euros por ano.

  • As técnicas e o currículo polémico do Dr. Bumbum
    2:10

    Mundo

    Uma mulher morreu após uma operação aos glúteos, feita na casa de um cirurgião plástico conhecido no Brasil por Dr. Bumbum. Depois de quatro dias em fuga, o homem entregou-se às autoridades. O médico operava as mulheres em casa e no currículo tem um curso que não acabou e pós-graduações que não são reconhecidas.

  • Ir ao Douro e à Nazaré
    25:57
  • O convite que causou surpresa até na Casa Branca
    2:33