sicnot

Perfil

Desporto

SC Braga questiona "razoabilidade" da nomeação de Xistra

ANT\303\223NIO COTRIM

O Sporting de Braga questiona hoje, face "às incidências ao nível da arbitragem" no último jogo, a "razoabilidade da nomeação" do mesmo árbitro para os encontros da I Liga de futebol disputados com Sporting, FC Porto e Benfica.

"É igualmente imperioso que se reflita sobre a prudência, ou falta dela, na nomeação para a função de VAR de um árbitro [Rui Costa] tão publicamente exposto na sequência da sua última atuação perante um dos emblemas contendores, no caso o Sporting", refere em comunicado a SAD do Sporting de Braga.

O comunicado surge após o empate de domingo entre Sporting e Sporting de Braga (2-2), em jogo da 11.ª jornada, dirigido por Carlos Xistra, da Associação de Futebol de Castelo Branco, no qual os bracarenses consideram terem sido prejudicados.

"O Sporting de Braga entende ser essencial que se conheçam as consequências do grosseiro erro do árbitro Carlos Xistra quando, ao minuto 47 e ao arrepio de todas as recomendações do Conselho de Arbitragem (CA), apitou no preciso momento do remate de Fransérgio, impedindo, como pede o CA, que tais lances sejam apreciados em colaboração com o VAR", refere a nota.

O clube pretende ainda que seja divulgado o áudio entre o árbitro e o VAR (videoárbitro) no decurso dos 58 segundos que intervalaram o momento do remate de Fransérgio e a indicação de Carlos Xistra para que fosse retomado o encontro.

1 / 17

MIGUEL A. LOPES

2 / 17

MIGUEL A. LOPES

3 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

4 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

5 / 17

MIGUEL A. LOPES

6 / 17

MIGUEL A. LOPES

7 / 17

MIGUEL A. LOPES

8 / 17

MIGUEL A. LOPES

9 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

10 / 17

MIGUEL A. LOPES

11 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

12 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

13 / 17

MIGUEL A. LOPES

14 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

15 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

16 / 17

ANT\303\223NIO COTRIM

17 / 17

MIGUEL A. LOPES

"É também premente, em benefício da apregoada transparência, que se conheça o áudio entre o árbitro e o VAR nos 52 segundos entre a decisão de Carlos Xistra de apitar para a marca de penálti ao minuto 90+4 e a conversão do castigo por Bruno Fernandes", acrescenta o comunicado.

Os 'arsenalistas' apontam ainda que "sendo este um lance ao abrigo do protocolo, é fundamental que se perceba que indicação foi dada sobre a evidente infração de Doumbia sobre Ricardo Ferreira no decurso da jogada e o porquê de tal incidente capital nem sequer ter merecido, da parte de Carlos Xistra, o recurso às imagens através do monitor de que dispõe ao nível do relvado".

"O esclarecimento destas questões é absolutamente fulcral e constitui um ponto de honra para o Sporting de Braga. Exigimos respostas, porque é tempo de dizer basta a um futebol que só se explica em função de três clubes, mas se fecha em obscurantismo e opacidade perante todos os outros, calando e consentindo", adianta o comunicado.

O clube acrescenta que tem tido uma "compreensão extraordinária para com a arbitragem", dada a "exigência da função e a exposição a que a mesma está sujeita", mas que, dados os erros sucessivos em seu prejuízo, é chegado o momento de analisar a postura pela qual o clube se tem pautado.

"O Sporting de Braga entende que é imperiosa uma profunda reflexão sobre o futebol que queremos. E que é fundamental que todos os agentes, desde as mais altas instâncias até aos media, reflitam sobre a hidra de três cabeças em que se transformaram as nossas competições, assoberbadas por três clubes que, com o beneplácito geral, secam e incendeiam o ambiente em seu redor, fazendo de todas as outras instituições meras figuras decorativas de um futebol que pugna por ser referência na Europa e no Mundo", acrescenta.

O clube questiona "se valerá a pena o esforço, a dedicação e o investimento feitos ao longo dos anos para que, mesmo com armas tremendamente desiguais, continuar a crescer a nível nacional e a orgulhar este País na representação internacional que tem conseguido, dignificando e engrandecendo o futebol que é o nosso e que tanto gostamos de ver reconhecido".

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espirito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espirito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Caso que está a gerar tensão entre Angola e Portugal chega a tribunal 2ª.feira
    1:32

    País

    O julgamento da Operação Fizz começa esta segunda feira numa altura em que o tribunal da Relação ainda não decidiu se aceita o pedido de Luanda para que Manuel Vicente seja julgado em Angola. O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa foi arrolado pelo tribunal como testemunha e já respondeu por escrito. O processo será julgado no tribunal da comarca de Lisboa pelo coletivo de juízes formado por Alfredo Costa, Helena Pinto e Ana Guerreiro da Silva, estando o Ministério Público representado pelo procurador José Góis.

  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo
    1:42

    País

    Mais de 60% dos jovens portugueses não usam preservativo e mais de um quarto acredita que a sida se pode transmitir pelo uso partilhado de copos ou talheres. São resultados de um estudo da Universidade de Lisboa que inquiriu 116 jovens dos 18 aos 24 anos, dos 18 aos 24 anos de todas as regiões e ilhas, estudantes universitários, mas também do programa Escolhas, que abrange uma população mais desfavorecida.

  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52