Desporto

Luis Enrique motivado por assumir cargo "muito ambicioso" na seleção espanhola

Daniel Ochoa de Olza

O novo selecionador de futebol da Espanha, Luis Enrique, afirmou hoje estar muito motivado por orientar a equipa espanhola, acrescentando que este é um cargo que "exige muita ambição".

"Não sei se era um sonho, mas sempre tive essa ambição. Tive a oportunidade de ser internacional, de sofrer e desfrutar da camisola espanhola em muitas competições, e agora fazê-lo como treinador é muito entusiasmante. Estou muito motivado e ansioso para começar", disse o treinador em declarações ao canal televisivo espanhol Cuatro.

Questionado sobre alguma desaprovação que tem recebido por ter assumido o cargo, Luis Enrique, de 48 anos, disse que "a crítica é algo que acontece em qualquer trabalho em Espanha" e que a aceita de "muito bom grado".

O treinador demonstrou ainda a sua felicidade com o seu percurso profissional, garantido que não vai mudar a sua visão porque está feliz com que tem vindo a fazer.

"Tenho 48 anos e vai ser difícil mudar. Se achar que tenho que melhorar, vou tentar fazê-lo, mas estou feliz com que fiz até agora e aonde cheguei na minha careira desportiva, por isso não vou mudar. Sou o mesmo", vincou.

Luis Enrique substituiu Fernando Hierro, que abandonou a seleção espanhola após a eliminação nos oitavos de final do Mundial2018 frente à anfitriã Rússia (4-3 nas grandes penalidades, após igualdades 1-1 no prolongamento e no tempo regulamentar).

Hierro, que era o diretor desportivo, ocupou o cargo no arranque da competição devido ao despedimento do ex-treinador do FC Porto Julen Lopetegui, que assinou com o Real Madrid, a dois dias da estreia de 'la roja' no Mundial2018, frente à seleção portuguesa.

Lusa

  • Três sportinguistas analisam entrevista de Bruno de Carvalho
    1:29
  • Manuel Pinho não terá declarado dinheiro que recebeu
    2:45

    Economia

    Manuel Pinho não terá declarado ao Tribunal Constitucional o dinheiro que recebeu do chamado saco azul do Grupo Espírito Santo. Esta terça-feira, no Parlamento, o antigo ministro da Economia de José Sócrates foi questionado sobre o assunto mas recusou responder.

  • Ora Eça!

    Opinião

    Eça, o meu conterrâneo que se definia como sendo "apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim" não haveria de gostar de nada que fosse obrigatório. Durante décadas, Os Maias lá estiveram, quem sabe numa progressista lista pós-revolução, dada a natureza "sexual e incestuosa" da obra. Sai dessa lista agora. Claro que sai. "Ninguém" gostava de "ter de" ler Os Maias.

    Pedro Cruz

  • Jovens tailandeses poderão vir a sofrer de transtornos a longo prazo
    2:30

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador resgatados de uma gruta da Tailândia já tiveram alta. Uma semana depois, saíram do hospital e deram uma conferência de imprensa em que se mostraram sorridentes. No entanto, os especialistas advertem que poderão vir a sofrer de transtornos a longo prazo, se forem obrigados recorrentemente a reviver tudo o que passaram.

  • Os portugueses que se cruzaram na vida de Mandela
    2:19
  • Cem anos de Mandela: o legado de um "gigante da História"

    Mundo

    Na história da Humanidade contam-se muito poucas figuras capazes de gerar uma aclamação unânime e global de elogio e agradecimento. Nelson Mandela está nessa lista de eleitos. No dia em que completaria 100 anos, recordamos o legado de "Madiba", um dos maiores impulsionadores da paz que este mundo já conheceu.

    André de Jesus

  • Será este o táxi mais autografado do mundo?
    2:27
  • Quem é a mais recente líder da Sonae?
    2:16
  • Rádio Escuta dá voz aos imigrantes que vivem em Lisboa
    4:02

    País

    Uma rádio comunitária está no ar, por estes dias, no bairro do Intendente, em Lisboa. O projeto é temporário e termina no próximo domingo. Mas até lá, a Rádio Escuta chega a mais de 100 países, pela internet, e dá voz aos imigrantes de diversas origens que vivem em Lisboa.

  • Lisboa vai ser Capital Verde da Europa em 2020
    2:54

    País

    O vereador do Ambiente de Lisboa quer envolver todos os cidadãos, empresas e agentes culturais na Capital Verde da Europa em 2020. Lisboa é a primeira cidade do sul da Europa a conseguir a distinção e, até lá, a Câmara promete um conjunto de investimentos para tornar a capital portuguesa um exemplo na área ambiental. Um deles é a construção de uma central solar.

  • Donald Trump em nova polémica

    Mundo

    O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, fez estalar uma nova polémica ao chamar ao Montenegro um "país muito pequeno" cujos habitantes são "muito agressivos" e por parecer questionar o princípio da defesa mútua dentro da NATO.

  • Urso apanhado na piscina de moradia de luxo na Califórnia
    1:35