Desporto

Chelsea despede treinador Antonio Conte

FACUNDO ARRIZABALAGA

O clube de Londres anunciou hoje que o italiano Antonio Conte deixou de ser o treinador, cargo que ocupava há dois anos.

"O Chelsea Football Club e Antonio Conte separaram-se", diz o clube londrino no seu site. "Desejamos a Antonio sucesso na sua futura carreira".

Após ter conquistado o título inglês na primeira temporada em Stamford Bridge, Conte não conseguiu melhor do que terminar no quinto lugar do campeonato na época passada, a 30 pontos do campeão Manchester City, falhando a qualificação para a próxima edição da Liga dos Campeões.

O Chelsea também não conseguiu passar dos oitavos de final da principal prova europeia de clubes, minimizando o impacto de uma época muito negativo com a conquista da Taça da Inglaterra, ao vencer na final o Manchester United, treinado pelo português José Mourinho.

O técnico, de 48 anos, que se sagrou campeão italiano no comando da Juventus, em 2012 e 2014, antes de assumir o cargo de selecionador italiano, já tinha começado a trabalhar com o plantel do clube londrino na preparação da época 2018/19.

  • "Bebemos a água que escorria das rochas"

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador que ficaram presos numa gruta na Tailândia durante 18 dias revelaram hoje alguns pormenores de como sobreviveram, na primeira conferência de imprensa.

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16
  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.