Última Edição

0
0:08

Última Edição

1
2:29

Seis meses de Governo de esquerda

2
1:03

Bruxelas diz que não há ilegalidade no adiamento de decisão sobre sanções

3
1:51

Estivadores dispostos a voltar a negociar fim da greve

4
0:47

Confederação do Comércio diz que propos mobilidade dos feriados ao anterior governo

5
0:50

CGTP discorda da proposta do governo de colocar os feriados à 2ª e à 6ª

6
2:01

Regresso das 35 horas semanais pode não ser para todos

7
1:14

Hospital de São José ilibado da morte de jovem com aneurisma

8
0:44

Dezenas de migrantes mortos em mais um naufrágio no Mediterrâneo

9
1:49

Líderes do G7 reúnem-se hoje e amanhã no Japão

10
0:24

Diretor da World Vision pede aos líderes do G7 políticas sólidas para mudar o mundo

11
0:33

PM francês admite alterações à lei do trabalho ao 8º dia de protestos

12
0:41

Refugiados admitem que não há condições no campo de Idomeni

13
0:25

Presidente do Conselho Europeu pede resposta para crise dos refugiados

14
1:58

Cristiano Ronaldo assume que é provável que termine a carreira no Real Madrid

15
1:15

Feira do Livro de Lisboa abre com reforço da programação infantil

07:39 07.05.2012

Governo e sindicatos da Função Pública voltam hoje à mesa das negociações

(SIC/Aruivo)

O Governo e os sindicatos da administração pública  regressam hoje às negociações, com os trabalhadores apreensivos quanto à  possibilidade de perderem as regalias adquiridas e com o Executivo a dar  sinais de cedência nalgumas matérias fraturantes. 

Desde fevereiro que o secretário de Estado da Administração Pública  e as principais estruturas sindicais têm vindo a reunir-se para discutir  nomeadamente a revisão do Regime de Contrato de Trabalho em Funções Públicas  para o harmonizar com as alterações que vão ser feitas ao Código do Trabalho  (como a redução do número de feriados e a introdução do banco de horas individual  e grupal). 

No entanto, e apesar da contestação dos sindicatos (FESAP -- Frente  Sindical da Administração Pública, Frente Comum e STE -- Sindicato dos Quadros  Técnicos do Estado), o Governo tem vindo a acrescentar novas alterações,  à medida que o processo evolui, em particular o regime de mobilidade geográfica,  que já existe mas ao qual o Executivo acrescentou o regime de 'mobilidade  interna temporária' e a possibilidade de rescisão por mútuo acordo. 

No caso das indemnizações, na origem da discórdia entre as partes  está o valor pago pelo Estado e que se traduzirá numa compensação correspondente  a 20 dias de salário por cada ano de trabalho, num máximo de 12 meses, à  semelhança do que vigora no setor privado. 

As reuniões prosseguem na terça-feira, dia em que o secretário de Estado  deverá fazer um balanço das reuniões com os sindicatos. 

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
22:00
Fogo em armazém de pneus no Algarve foi extinto e está em rescaldo
21:58
Apresentação oficial de Mourinho no Manchester deverá acontecer amanhã
21:57
Ronaldo admite a possibilidade de terminar a carreira no Real Madrid
21:55
BCE duvida da legalidade de adiar a decisão sobre o défice excessivo
20:02
Greve de controladores aéreos cancela 105 voos no aeroporto de Paris-Orly
18:31
Eurodeputados do PS questionam Bruxelas e BCE sobre venda do Banif
18:26
Bruxelas diz que não há ilegalidade no adiamento de decisão sobre sanções
18:25
Resgatado corpo de português praticante de canyoning na Galiza
18:19
Angela Merkel afirma que G7 deve manter sanções à Rússia
18:17
Detidos suspeitos de prepararem novo atentado na Bélgica
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .