Última Edição

0
0:05

Última Edição

1
2:21

As razões que explicam o fluxo migratório no Mediterrâneo

2
2:59

Guardas costeiras de Itália e Malta sem meios de resposta

3
1:48

Chefes de Estado e Governo reúnem-se quinta-feira para discutir imigração ilegal

4
2:10

Passos espera novas medidas do Conselho Extraordinário contra a imigração ilegal

5
1:00

António Costa garante que as promessas do PS vão ser para cumprir

6
3:01

TAP não devolve dinheiro a quem comprou bilhete antes do pré-aviso de greve

7
0:49

Poiares Maduro diz que salários dos gestores da RTP vão depender dos resultados da empresa

8
1:21

Auditoria especial ao Montepio deteta irregularidades

9
0:55

Miguel Albuquerque promete Governo de esperança e mudança na Madeira

10
4:11

Homem apresenta queixa por negligência médica no Hospital de Cascais

11
1:05

Schulz diz que Europa precisa de solução para a crise da imigração ilegal no Mediterrâneo

12
2:06

Lopetegui nega que Jackson Martinez tenha jogado graças a infiltrações

13
2:01

Treinador do Bayern confia na reviravolta da eliminatória

14
1:48

Milhares de fãs viram o trailer de "Star Wars: O Despertar da Força" nos EUA

15
2:08

Movimento de cidadãos aprova moção que pede a suspensão imediata do acordo ortográfico

12:40 25.09.2012

Programa de ajustamento português é "exemplar", afirma vice-chanceler alemão

EPA O mininstro alemão Philipp Roesler recebe o ministro Santos Pereira em Berlim / EPA

O vice-chanceler alemão e ministro da economia,  Philipp Roesler, considerou hoje "exemplar para a Europa e para o mundo"  a aplicação do programa de ajustamento financeiro em Portugal, após uma  reunião com o homólogo português, em Berlim. 

 "Apesar de todas as dificuldades, Portugal tem conseguido implementar  a consolidação orçamental e as reformas estruturais, um caminho muito difícil,  mas que está a ser traçado de forma exemplar para a Europa e para o mundo",  disse o político liberal, à margem da Bolsa de Contactos Portugal Plus,  na capital alemã, para promover as exportações portuguesas e incentivar  os investimentos alemães no país. 

 "Portugal está a percorrer um caminho extraordinário, e chegou o momento  de lhe dar vida económica", acrescentou Roesler. 

O vice-chanceler alemão comentou também as recentes manifestações contra  a 'troika' e a política de austeridade em Portugal, admitindo que "as reformas  são difíceis para as pessoas", e mostrando "respeito pela via de concertação  social" do governo PSD/CDS. 

Convidado pelos jornalistas a comentar o descontentamento que se traduziu  nas recentes manifestações, Álvaro Santos Pereira, por seu turno, sublinhou  o "espírito de união que tem existido em Portugal", acrescentando que, para  ultrapassar as dificuldades atuais "é necessário manter o diálogo social".

"As pessoas estão preocupadas com o seu futuro, o governo mantém o diálogo  social, mas só mantendo também a consolidação orçamental e as reformas estruturais  conseguiremos sair da crise", disse o ministro luso. 

É este conjunto de fatores, acrescentou, "que distingue Portugal de  outros países da Europa, fomos e seremos capazes de manter a paz social",  garantiu Santos Pereira, dando como exemplo o acordo alcançado já depois  das manifestações para a reforma do trabalho portuário. 

"Portugal vai dar a volta à crise mantendo o diálogo social", reiterou  o ministro da economia. 

Os dois ministros, que discursaram também na abertura da primeira edição  do Portugal Plus, em Berlim, sublinharam ainda que esta bolsa de contactos  "já começou a dar frutos", traduzidos em negócios fechados por empresas  portuguesas. 

Na bolsa de contactos participaram 16 empresas portuguesas de vários  ramos de atividade, e cerca de duas dezenas de firmas que não se deslocaram  a Berlim têm também contactos programados com parceiros alemães. 

A bolsa de contactos estará também na quinta-feira, em Estugarda, para  que as empresas portuguesas possam apresentar-se a potenciais clientes ou  parceiros do sul da Alemanha. 

Outras duas iniciativas do género marcadas para Essen e Munique foram  entretanto anuladas, "por razões logísticas", como explicou à Lusa Bernardo  Meyrelles, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã, instituição  que coordenou esta ação a partir de Lisboa, com o apoio dos governos português  e germânico. 

 

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
23:31
Cuca Roseta apresenta novo disco em maio
23:24
França acusa Irão de desestabilizar Iémen e querer hegemonia
23:15
Sara Moreira falha maratona de Londres devido a lesão
23:15
Sobreviventes de naufrágio chegaram à Sicília para identificação
23:14
Etíope Lelisa Desisa vence martona de Boston
23:09
Ninguém consegue fazer o mesmo que Messi e Ronaldo - Pastore
22:55
Guardiola confia na reviravolta da eliminatória com FC Porto
22:54
Nelson Évora celebra aniversário disfarçado de homem com 81 anos
22:54
Ataques na África do Sul fizeram pelo menos 7 mortos
22:02
Fãs da família real vão acampar perto do hospital quando Kate chegar
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .