Última Edição

1
0:05

Última Edição

2
1:49

Novo ano letivo arranca com protestos de norte a sul

3
2:49

Pais contestam turmas mistas

4
1:33

Eduardo Stock da Cunha substitui Vítor Bento

5
0:54

Candidatos às Primárias do PS sublinham incertezas no BES

6
1:47

Seguro e Costa insistem na tecla da diferença

7
2:48

Portas acredita numa vitória da maioria nas próximas eleições

8
0:51

Hillary Clinton admite candidatar-se às presidenciais

9
0:25

David Cameron promete combater Estado Islâmico

10
2:39

Três de quatro sondagens dão vitória ao não no referendo da Escócia

11
0:51

Presidente do Vitória revela que oficial do clube foi atingido por bala de borracha

12
0:58

Lopetegui lamenta golo anulado aos dragões

10:02 02.11.2012

Taxa de desemprego nas pessoas com deficiência aumenta para mais de 70% 

LUSA Manifestação dos (D)Eficientes Indignados junto à Assembleia da República em luta pela qualidade de vida das pessoas com deficiência, 2 de outubro de 2012 (Arquivo Lusa)

O presidente da Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes, José Reis, disse à Lusa que a taxa de desemprego nas pessoas com deficiência aumentou para mais de 70% este ano face a 2011. 

Em entrevista à agência Lusa, José Reis disse que, apesar de não ter números oficiais e concretos sobre a taxa de desemprego nas pessoas portadoras  de todo o tipo de deficiência, a Confederação Nacional dos Organismos de  Deficientes (CNOD) estima que ande perto dos 75%. 

"Não temos meios para apurar dados concretos, não temos estatísticas.  As nossas estimativas têm por base os relatos que nos têm chegado através  das instituições, dos nossos associados", explicou o responsável, adiantando  que a CNOD representa 36 associações e federações de todo o país. 

De acordo com José Reis, a grave situação que o país atravessa está  a afetar ainda mais as pessoas com deficiência devido às suas características  e especificidades. 

Por isso, o desemprego será um dos temas em análise e debate no sábado  no Auditório do Tecmaia, na cidade da Maia, durante o 21 Encontro Nacional  de Organismos de Deficientes sob o lema "Dar voz aos Deficientes e suas  associações. Por uma vida digna e Inclusiva", organizado pela CNOD. 

Neste encontro, vão ser debatidos temas como o desemprego, os transportes,  as acessibilidades, a educação e a situação difícil em que vivem pessoas  e instituições. 

O presidente da CNOD contou à Lusa que as medidas de austeridade apresentadas  pelo Governo não só estão a atingir os deficientes desempregados como está  a afetar o funcionamento de associações, federações e diversas instituições  que prestam apoio". 

"Nós também estamos com dificuldades em subsistir. Não conseguimos avançar  com projetos devido ao corte em 60% dos apoios do Estado à CNOD. Neste momento  sobrevivemos das quotas das associações que não chegam para fazer face às  despesas mais básicas, incluindo o pagamento dos salários dos nossos quatro  funcionários", adiantou. 

José Reis alertou também para a situação "calamitosa" em que se encontram  algumas das associadas da CNOD que estão a passar dificuldades, encontrando-se  algumas em risco de encerrar. 

"Vemos com muita preocupação o eminente encerramento da Associação dos  Renais do Norte e a Associação Portuguesa dos Limitados da Voz devido aos  cortes governamentais", adiantou o responsável. 

O presidente da CNOD realçou que além das instituições, tem informação  de que há muitos deficientes e as suas famílias a viver abaixo do limiar  da pobreza. 

José Reis disse ainda que durante o encontro no sábado na Maia a CNOD  vai apurar a real situação das instituições e das pessoas que apoiam e tentar  "todos juntos" encontrar soluções para os problemas. 

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .