Última Edição

1
0:05

Última Edição

2
1:33

Mais de 50 homens da GNR e PJ procuram suspeito de homicídio em Viseu

3
2:46

Alegado autor dos disparos em Viseu tinha pulseira eletrónica

4
1:43

2 sobreviventes portugueses do naufrágio nas Astúrias já tiveram alta

5
1:07

Pescadores envolvidos no naufrágio das Astúrias viviam nas Caxinas

6
4:47

2 pessoas detidas e 8 contraordenações durante a madrugada no concelho de Almada

7
2:16

Confirmados 28 mortos e 268 desaparecidos em naufrágio na Coreia do Sul

8
1:59

FMI aprovou pagamento de nova tranche de 851 milhões de euros para Portugal

9
3:03

Morreram duas das quatro mulheres baleadas em Valongo dos Azeites, S. João da Pesqueira

10
0:40

Agricultores entregam petição no Parlamento com cerca de 6.500 assinaturas

11
1:21

Duques visitaram hospital para crianças e Feira da Páscoa de Sidney

12
1:29

Papa Francisco presidiu à cerimónia do lava-pés em Roma

17:12 06.03.2013

Maioria dos portugueses viajaram de férias no ano passado mas crise afetou quase metade

reuters

A maioria dos portugueses (52%) viajou em  2012, um valor muito abaixo da média europeia (71%), segundo um Eurobarómetro  hoje divulgado, em Bruxelas, que indica ainda ter sido a situação financeira  que impediu as férias de muitos. 

No entanto, dos quase metade dos portugueses (42%, contra 27% na média  europeia) que responderam não ter viajado no ano passado,  uma maioria de  61% alegou razões financeiras (UE 46%), ficando em terceiro lugar depois  dos búlgaros (73%) e dos gregos (72%). 

Por outro lado, o Eurobarómetro sobre turismo revela também que a maioria  dos portugueses (62%) optou por fazer férias no próprio país (UE 47%). 

Para este ano, 27% dos portugueses planeiam fazer férias de curta duração  - até três noites consecutivas (UE 29%) - 25% optarão por estadas de média  duração - entre 4 e 13 noites - (UE 42%) e 13% dizem que farão férias de  longa duração (UE 20%). 

Questionados sobre se a situação de crise financeira terá influência  no planeamento de férias para este ano, 35% dos inquiridos responderam afirmativamente,  acrescentando que irão gastar menos durante o período escolhido (UE 22%).

Outros 13% disseram ter optado por uma estada mais curta (UE 14%), 12%  responderam que a crise em nada altera os seus planos de férias (UE 41%)  e 6% (UE 5%) alteraram o destino escolhido. 

Em Portugal, foram inquiridas 1.021 pessoas (26.601 na UE), no período  entre 24 e 30 de janeiro, pela Euroteste. 

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .