Última Edição

1
0:05

Última Edição

2
1:35

Grupo de 30 países decide dar total apoio militar ao Iraque na luta contra Estado Islâmico

3
1:50

Administração do Novo Banco deve iniciar funções até ao final da semana

4
2:03

Paulo Portas pede acordo para moderação fiscal

5
2:54

Ministério diz que Citius está disponível mas só para os novos processos

6
1:35

Famílias das vítimas do Meco não se conformam com arquivamento do processo

7
2:36

Ministro da Saúde garante que as taxas moderadoras não sobem no próximo ano

8
0:52

António Costa diz que os portugueses devem ser informados dos riscos no Novo Banco

9
1:18

Cessar-fogo volta a estar ameaçado por confrontos violentos no leste da Ucrânia

10
2:45

Trinta membros da conferência de Paris prometem apoio militar ao Governo do Iraque

11
1:08

Villas-Boas critica altura escolhida para troca de selecionador nacional

12
0:27

Jesus diz que clubes ingleses conhecem Talisca como ele conhece D'Artagnan

13
1:07

Talisca considera jogo com Zenit difícil e garante estar apenas focado no Benfica

14
1:27

Peças do filme 007 de 1964 estão a ser vendidas num leilão em Londres

10:33 28.08.2013

Aumento de horário é "irracional e inconstitucional" diz Sindicato dos Quadros técnicos

LUSA Bettencourt Picanço, presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado

O presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado classifica como "irracional e inconstitucional" a decisão de alargar o horário de trabalho no Estado para as 40 horas e garantiu que pedirá a fiscalização da sua constitucionalidade.

Bettencourt Picanço diz que o sindicato "não deixará agora de suscitar a inconstitucionalidade junto dos grupos parlamentares da Assembleia da República que votaram contra o diploma, quer junto da procuradora-geral  da República e do Provedor de Justiça". Promete ainda "suscitar junto do Tribunal Constitucional e 'a posteriori' a  inconstitucionalidade deste diploma".

Para o dirigente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado, "no momento  atual do país, em termos de desenvolvimento económico e social, com o desemprego  que temos, a medida é irracional".   

"Mas, consideramos também que a medida é inconstitucional, na medida  em que se trata de alargar um horário de trabalho que os trabalhadores já  têm há imensos anos e em relação ao qual têm a sua vida pessoal e profissional  organizada", disse o dirigente sindical. 

Segundo Bettencourt Picanço, esta decisão "viola a confiança que os  trabalhadores podem ter na legislação que é publicada". 

O Presidente da República promulgou na quinta-feira o diploma que estipula  o aumento do horário de trabalho no Estado de 35 para 40 horas semanais,  de acordo com informação hoje disponibilizada na página do Parlamento na  Internet. 

O diploma que estipula o aumento do horário de trabalho no Estado de  35 para 40 horas semanais foi aprovado em votação final global a 29 de julho  com os votos da maioria PSD/CDS-PP e o voto contra de toda a oposição. 

Assim, já este ano o período normal de trabalho diário dos trabalhadores  do Estado passa de sete para oito horas por dia.

    

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .