Última Edição

0
0:08

Última Edição

1
0:46

GNR confirma que não há feridos entre montanhistas que se perderam no Gerês

2
2:07

Costa garante que 35 horas semanais entram em vigor em julho

3
0:40

"É preciso saber como é que o interesse público está defendido"

4
2:16

Críticas e elogios nas reações de sindicatos e empresas ao OE

5
0:39

Direita quer saber que custos terá novo acordo da TAP para os contribuintes

6
0:44

Jerónimo insiste que Governo deve garantir maioria do capital da TAP

7
0:40

"Casamento a quatro pode terminar em separação"

8
2:14

Imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima esteve em Lisboa

9
1:41

Sobreviventes de sismo no Taiwan continuam a ser resgatados

10
1:53

Porto Rico em estado de emergência devido ao vírus Zika

11
1:26

Peseiro avisa que equipa terá de ser paciente frente ao Arouca

12
0:29

Zidane elogia capacidade física da "besta" Cristiano Ronaldo

13
2:03

Sesimbra espera 40 mil foliões a celebrar o Carnaval

14
1:29

Já se samba nas ruas do Rio

10:33 28.08.2013

Aumento de horário é "irracional e inconstitucional" diz Sindicato dos Quadros técnicos

LUSA Bettencourt Picanço, presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado

O presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado classifica como "irracional e inconstitucional" a decisão de alargar o horário de trabalho no Estado para as 40 horas e garantiu que pedirá a fiscalização da sua constitucionalidade.

Bettencourt Picanço diz que o sindicato "não deixará agora de suscitar a inconstitucionalidade junto dos grupos parlamentares da Assembleia da República que votaram contra o diploma, quer junto da procuradora-geral  da República e do Provedor de Justiça". Promete ainda "suscitar junto do Tribunal Constitucional e 'a posteriori' a  inconstitucionalidade deste diploma".

Para o dirigente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado, "no momento  atual do país, em termos de desenvolvimento económico e social, com o desemprego  que temos, a medida é irracional".   

"Mas, consideramos também que a medida é inconstitucional, na medida  em que se trata de alargar um horário de trabalho que os trabalhadores já  têm há imensos anos e em relação ao qual têm a sua vida pessoal e profissional  organizada", disse o dirigente sindical. 

Segundo Bettencourt Picanço, esta decisão "viola a confiança que os  trabalhadores podem ter na legislação que é publicada". 

O Presidente da República promulgou na quinta-feira o diploma que estipula  o aumento do horário de trabalho no Estado de 35 para 40 horas semanais,  de acordo com informação hoje disponibilizada na página do Parlamento na  Internet. 

O diploma que estipula o aumento do horário de trabalho no Estado de  35 para 40 horas semanais foi aprovado em votação final global a 29 de julho  com os votos da maioria PSD/CDS-PP e o voto contra de toda a oposição. 

Assim, já este ano o período normal de trabalho diário dos trabalhadores  do Estado passa de sete para oito horas por dia.

    

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
22:10
Portugal vai defrontar Espanha nos quartos do Europeu de futsal
22:10
Empresário José Veiga vai continuar a ser ouvido amanhã de manhã
22:09
Desfile das escolas de samba de Ovar cancelado
22:08
Mais de 22.600 casos de infeção com Zika confirmados na Colômbia
20:41
FC Porto fecha campeonato de andebol só com vitórias
20:34
Federação do Sudão do Sul anuncia apoio a Infantino para a FIFA
20:33
Vit. Setúbal e Marítimo empatam a um golo, na I Liga
20:13
Leverkusen e Bayern Munique empatam sem golos na liga alemã
20:13
Arguidos no "processo TUB" conhecem amanhã medidas de coação
19:09
João Monteiro nas meias-finais da Taça da Europa de ténis de mesa
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .