sicnot

Perfil

Economia

Henrique Granadeiro ouvido na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BES

Depois de Zeinal Bava, presidente executivo da PT, hoje é a vez de Henrique Granadeiro ser ouvido na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BES.

A Oi refere que Granadeiro invoca o facto de a Comissão Executiva da PT SGPS ter revogado a 25 de março do ano passado "o modelo de gestão centralizada de tesouraria que estava em vigor nas empresas do grupo PT desde 1 de março de 2006, passando em consequência, a tesouraria das empresas portuguesas detidas, direta ou indiretamente, em mais de 10% pela PT Portugal, a ser gerida por esta última". (Arquivo)

A Oi refere que Granadeiro invoca o facto de a Comissão Executiva da PT SGPS ter revogado a 25 de março do ano passado "o modelo de gestão centralizada de tesouraria que estava em vigor nas empresas do grupo PT desde 1 de março de 2006, passando em consequência, a tesouraria das empresas portuguesas detidas, direta ou indiretamente, em mais de 10% pela PT Portugal, a ser gerida por esta última". (Arquivo)

Francisco Seco / AP

Mais uma vez, o objectivo dos deputados é procurar saber por que razão comprou a PT quase 900 milhões de euros em dívida do Grupo Espírito Santo, quando já se sabia do risco envolvido.

Em agosto, quando se demitiu, Granadeiro já tinha admitido parte da responsabilidade, mas não a culpa. Hoje deve ainda responder a outras questões relacionadas com a influência de Ricardo Salgado na gestão da operadora. A audição está marcada para as 4 da tarde.
  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.