sicnot

Perfil

Economia

Banco Mundial faz 'mea culpa' por danos causados a populações deslocadas

O Banco Mundial (BM) fez hoje um 'mea culpa' pelas consequências, por vezes negativas, do deslocamento forçado de populações no âmbito de projetos para os quais faculta financiamento.

Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim

Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim

(Reuters/Arquivo)

"Estivemos a examinar, com um olhar crítico, o que fazemos nesta área e aquilo com que nos deparámos despertou em mim profundas preocupações", disse o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, em comunicado.

"Encontrámos uma série de questões importantes. A primeira é que não fizemos o suficiente para controlar projetos que envolvem deslocamentos. A segunda é que não temos aplicado os planos de forma correta e a terceira é que não temos introduzido instrumentos de controlo suficientes para garantir que as nossas políticas são respeitadas. Devemos e vamos fazer melhor ", acrescentou Jim Yong Kim.

Após admitir estas falhas, o BM anunciou o lançamento de um plano de ação para resolver o problema, prevendo um reforço dos controlos e pessoal adicional para monitorar esses projetos.

O Banco Mundial divulgou hoje vários documentos sobre a questão, incluindo pesquisas realizadas nos últimos 20 anos, mas não cita projetos específicos em que a deslocação das populações teve lugar em condições insatisfatórias. 

Porém, um documento anterior refere problemas em torno de um transporte urbano em Mumbai, na Índia, um gasoduto na África Ocidental e o desenvolvimento das zonas costeiras na Albânia.



Lusa
  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívid como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.