sicnot

Perfil

Economia

Cinco processos de execução fiscal instaurados a Passos entre 2003 e 2007

A situação fiscal do primeiro-ministro voltou a ser notícia, agora por outros motivos. Vários órgãos de comunicação social citam cinco processos de execução fiscal, instaurados a Pedro Passos Coelho entre 2003 e 2007.

Os cinco procedimentos do Fisco atingiram, no total, os 6 mil euros, mas ficaram resolvidos durante esse período.

Os cinco procedimentos do Fisco atingiram, no total, os 6 mil euros, mas ficaram resolvidos durante esse período.

ESTELA SILVA / Lusa

Os cinco procedimentos do Fisco atingiram, no total, os 6 mil euros, mas ficaram resolvidos durante esse período.

Os problemas fiscais do primeiro-ministro foram denunciados pela primeira vez em 2011, num blogue na internet, nas vésperas da campanha eleitoral para as Legislativas.
  • Passos Coelho diz que não é "um cidadão perfeito"
    2:47

    País

    O primeiro-ministro revelou hoje que se atrasou "muitas vezes na vida" no cumprimento de obrigações fiscais. Passos Coelho disse ainda que não é "um cidadão perfeito" e admitiu já ter sido alvo de multas fiscais e de multas de trânsito. O chefe do governo garante, no entanto, que não tem qualquer dívida ao fisco.

  • Oposição quer conhecer ao pormenor carreira contributiva de Passos Coelho
    2:40

    Economia

    Apesar dos repetidos esclarecimentos de Passos Coelho, ainda há perguntas por responder. Todos os partidos da oposição entregaram no Parlamento requerimentos para saber ao pormenor o que se passou entre 1999 e 2004. Anos em que o primeiro-ministro acumulou dívidas à Segurança Social e que, de acordo com o jornal Público, não foram todas contabilizadas. Parte da dívida terá sido dado como prescrita. O valor entre 1999 e 2004 com juros seria superior a 8 mil euros. A Segurança Social terá tido em conta o valor entre 2002 e 2004.

  • Vitorino diz que a dívida de Passos à Segurança Social é motivo para pedir desculpa aos portugueses
    1:47

    País

    António Vitorino diz que a dívida de Pedro Passos Coelho à Segurança Social é motivo para pedir desculpa aos portugueses. O ex-comissário socialista esteve, esta noite, na SIC Notícias, com Pedro Santana Lopes, e disse que este é um caso político. Santana Lopes concorda mas acrescenta que, à data a que o caso se refere, o sistema de pagamentos à Segurança Social era confuso.

  • PSD defende que Passos pode dar mais explicações num debate quinzenal
    0:59

    País

    Os deputados da maioria chumbaram o pedido do PS para que Passos Coelho esclarecesse o caso das contribuições à Segurança Social, entre 1999 e 2004. Para o PSD e o CDS, a iniciativa do PS viola o regimento do Parlamento. Os socialistas queriam que nove questões fossem respondidas na comissão parlamentar de Trabalho e Segurança Social. Para o PSD, o assunto já está esclarecido e pode agora ser colocado num debate quinzenal ou através de um requerimento diretamente dirigido ao chefe do Executivo, tal como fizeram o PCP e o Bloco de Esquerda. A SIC falou com Nuno Sá, do PS, e Adão e Silva, do PSD.

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.