sicnot

Perfil

Economia

Reembolso antecipado ao FMI pode significar poupanças de 700 M€ ao Estado

O reembolso antecipado de 14.000 milhões de euros ao FMI deve significar uma poupança de 700 milhões de euros aos cofres do Estado, avançou hoje a presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), Cristina Casalinho.

"As poupanças são significativas e no cúmulo podem ser na ordem dos 700 milhões para o montante total", de 14.000 milhões de euros, respondeu Cristina Casalinho aos jornalistas, no final da sua audição na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública. 

Já o reembolso previsto para este ano permitirá uma poupança "na ordem dos 100 milhões de euros", disse a presidente do IGCP.

Na semana passada, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, disse que Portugal reembolsará em março 6.000 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), dos 14.000 milhões previstos em dois anos e meio.

Cristina Casalinho adiantou esta manhã no parlamento que o Estado vai emitir mais 4.000 milhões de euros este ano do que inicialmente previsto e reduzir a 'almofada financeira' em 2.000 milhões de euros para reembolsar o FMI.

Na última atualização da estratégia de financiamento da dívida pública, de janeiro, o IGCP antecipou que as necessidades líquidas de financiamento do Estado sejam de 11,2 mil milhões de euros em 2015 e que a reserva financeira no final do ano seja de 10,2 mil milhões, prevendo-se ainda que sejam precisos 11 mil milhões de euros para financiar o Estado em 2016.



Lusa
  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC