sicnot

Perfil

Economia

Reembolso antecipado ao FMI pode significar poupanças de 700 M€ ao Estado

O reembolso antecipado de 14.000 milhões de euros ao FMI deve significar uma poupança de 700 milhões de euros aos cofres do Estado, avançou hoje a presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), Cristina Casalinho.

"As poupanças são significativas e no cúmulo podem ser na ordem dos 700 milhões para o montante total", de 14.000 milhões de euros, respondeu Cristina Casalinho aos jornalistas, no final da sua audição na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública. 

Já o reembolso previsto para este ano permitirá uma poupança "na ordem dos 100 milhões de euros", disse a presidente do IGCP.

Na semana passada, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, disse que Portugal reembolsará em março 6.000 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), dos 14.000 milhões previstos em dois anos e meio.

Cristina Casalinho adiantou esta manhã no parlamento que o Estado vai emitir mais 4.000 milhões de euros este ano do que inicialmente previsto e reduzir a 'almofada financeira' em 2.000 milhões de euros para reembolsar o FMI.

Na última atualização da estratégia de financiamento da dívida pública, de janeiro, o IGCP antecipou que as necessidades líquidas de financiamento do Estado sejam de 11,2 mil milhões de euros em 2015 e que a reserva financeira no final do ano seja de 10,2 mil milhões, prevendo-se ainda que sejam precisos 11 mil milhões de euros para financiar o Estado em 2016.



Lusa
  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.