sicnot

Perfil

Economia

Conselho de Administração do BPI rejeita valor oferecido pelo CaixaBank

O Conselho de Administração do Banco BPI considerou que o preço da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank sobre a entidade "não reflete o valor atual" do BPI e não partilha com os acionistas as sinergias anunciadas.

As ações do BPI dispararam mais de 27%.

As ações do BPI dispararam mais de 27%.

© Hugo Correia / Reuters

"O preço da oferta não reflete o valor atual do BPI correspondente ao valor agregado da atividade doméstica e da atividade internacional, nem partilha com os acionistas do banco as sinergias anunciadas pelo oferente", lê-se no relatório do Conselho de Administração do BPI disponível na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).



Lusa

  • Governo recusa comentar fusão BPI/BCP mas diz que interesse de investimento é positivo
    3:10

    Economia

    O ministro da Economia, Pires de Lima, recusa comentar a possível fusão entre o BPI e o BCP. Pires de Lima diz apenas que é positivo perceber que há interesse de investimento no país mas remete a avaliação do negócio para os acionistas. A fusão foi sugerida pela empresária angolana Isabel dos Santos, que garante tratar-se de um caminho melhor que a Operação Pública de Aquisição (OPA) lançada pelo Caixabank. Isabel dos Santos defende que a fusão permitirá criar o maior banco privado nacional.

  • Ministro da Economia não comenta OPA sobre o BPI por ser decisão privada
    0:46

    Economia

    O ministro da Economia não quis fazer grandes comentários à OPA sobre o BPI e à hipótese de fusão entre BPI e BCP. Pires de Lima disse apenas que é bom saber que há interesses de investimento em Portugal e que as decisões cabem aos acionistas. Palavras do ministro da Economia, esta manhã, na apresentação do livro "Mercator de Língua Portuguesa", uma obra de referência do marketing que tem agora prefácio escrito por Pires de Lima

  • Fusão BCP/BPI "é da responsabilidade dos acionistas"
    0:20

    Economia

    O ministro da Economia, António Pires de Lima, defende que o Estado e o Governo não devem ter posição sobre a eventual fusão entre o BCP e o BPI. Naquela que é a primeira reação do Executivo à proposta da empresária angolana Isabel dos Santos, Pires de Lima diz apenas que é uma decisão da responsabilidade dos acionistas.

  • Isabel dos Santos defende criação do maior banco privado em Portugal
    1:38

    Economia

    A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários já levantou a suspensão da negociação de ações do BCP e do BPI. A suspensão esteve em vigor até que fosse divulgada informação relevante ao mercado. A empresária angolana Isabel dos Santos já formalizou entretanto a proposta de fusão entre o BPI e o BCP. Numa carta enviada a Fernando Ulrich, Nuno Amado e ao Caixabank, a empresária defende que a criação do maior banco privado em Portugal, com posições em Angola, Moçambique e Polónia e ainda uma gestão portuguesa independente.

  • Pedido de registo da OPA do Caixabank ao BPI chegou à CMVM
    0:08

    Economia

    O pedido de registo da OPA do banco espanhol Caixabank ao BPI chegou esta quarta-feira à a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Caso o regulador considere que a informação enviada pelo banco espanhol é suficiente, o BPI tem oito dias para se pronunciar sobre o negócio. O mesmo pedido que chegou à CMVM terá sido enviado à administração do banco, mas, esta tarde, à saída de uma conferência, em Lisboa, Fernando Ulrich recusou falar sobre o tema.

  • As várias tentativas de compra e fusão do BPI
    2:09

    Economia

    O BPI nasceu há 17 anos e é o terceiro maior banco privado português. Nos últimos anos, foi alvo de várias tentativas de compra e fusão mas todas falharam. Agora, o espanhol CaixaBank, que já detém mais de 40% do BPI, quer comprar o resto e a seguir adquirir o Novo Banco.

  • Retrato do BPI
    2:22

    Economia

    O BPI nasceu há 17 anos e é o terceiro maior banco privado português. Nos últimos anos, foi alvo de várias tentativas de compra e até de fusão com outros bancos, que falharam sempre.

  • Caixabank quer comprar BPI e Novo Banco
    2:23

    Economia

    Os espanhóis do Caixabank querem comprar a totalidade do BPI. Poderá ser este um passo importante para adquirir depois o Novo Banco, que resultou das cinzas do BES. Caso isso venha a acontecer, cria-se a maior instituição financeira nacional, com ativos superiores a 120 mil milhões de euros. Entretanto, o BPI já anunciou que mantém a candidatura à compra do Novo Banco.

  • CaixaBank é o terceiro maior banco espanhol
    1:38

    Economia

    O CaixaBank, do grupo La Caixa, é o terceiro maior banco espanhol. Em plena crise financeira, comprou cinco bancos e agora quer fechar o sexto negócio que pode implicar, também, a compra do Novo Banco. À SIC, fonte oficial do banco garante que tem muita confiança no BPI e que este é um bom momento para reforçar a posição em Portugal.

  • BPI com prejuízos de 161,6 M€ em 2014

    Economia

    O BPI obteve prejuízos de 161,6 milhões de euros em 2014, quando em igual período do ano passado atingiu lucros de 66,8 milhões de euros, anunciou hoje o banco na apresentação de resultados em Lisboa.

  • Morreu Miguel Beleza, antigo ministro das Finanças e governador do BdP
    1:34
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.