sicnot

Perfil

Economia

Novo Banco dá garantias sobre Fundo de Pensões de 2.500 militares da GNR

A Associação Nacional de Guardas (ANAG) da GNR obteve hoje a garantia do Novo Banco que o dinheiro investido por 2.500 militares na ex-Espírito Santo Fundo de Pensões está a salvo e pode ser transferido para outro banco.

(Lusa/Arquivo)

A ANAG/GNR refere que esteve reunida com a direção de Gestão de Ativos do Grupo Novo Banco, tendo-lhe sido comunicado que o dinheiro aplicado na ex-Espírito Santo Fundo de Pensões (ESAF), através do protocolo com os Serviços Sociais da GNR, estão "seguros e garantidos" no Novo Banco, tendo, inclusivamente, uma gestão autónoma à entidade bancária.

Durante a reunião, os gestores do Novo Banco garantiram também a "total estabilidade" daquele Fundo de Pensões caso o Novo Banco seja vendido, uma vez que está estabelecido no processo que o comprador está obrigado a assumir integralmente estas aplicações financeiras, no valor global de 132 milhões de euros. 

Não foi contudo prestada informação sobre o montante que representa o investimento feito pelos cerca de 2.500 militares da GNR ao abrigo do protocolo.

Durante a reunião - adianta a ANAG/GNR - ficou esclarecido e confirmado que o dinheiro dos titulares do Fundo de Pensões pode ser transferido para outra entidade bancária, a qualquer momento, com uma penalização de 1,5 por cento e não de 2,5%, como tinha sido veiculado. 

De acordo com os regulamentos estabelecidos, este Fundo de Pensão não pode ser resgatado. 

Colocada pela ANAG/GNR a hipótese de falência do Novo Banco, os gestores asseguraram que o Fundo de Pensões está salvaguardado pela respetiva lei geral.

A ANAG declara-se satisfeita com as garantias dadas na reunião com os administradores do Novo Banco, tendo solicitado que as mesmas garantias sejam assumidas por "escrito e com informação detalhada", havendo o compromisso de ser enviado à ANAG toda a documentação solicitada, "o mais breve prossível".

     
Lusa
  • Pensões da GNR poderão estar em risco no BES
    1:13

    Economia

    Perto de dois mil e 500 militares da GNR podem vir a perder as pensões por causa do colapso do Banco Espírito Santo (BES). Ao abrigo de um protocolo especial, os profissionais da GNR investiram num fundo do Espírito Santo. Temem agora perder tudo na passagem para o Novo Banco. O dinheiro só pode ser resgatado em caso de doença incapacitante ou reforma antecipada. A Associação Nacional de Guardas exige o resgate imediato do dinheiro investido.

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Incêndio em Alfragide deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação em Alfragide, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa