sicnot

Perfil

Economia

Portugal foi o terceiro mercado imobiliário europeu mais procurado por chineses em 2014

Portugal foi o terceiro mercado imobiliário europeu que atraiu mais investimentos chineses em 2014, depois do Reino Unido e da Espanha, disse a revista mensal News China na sua última edição.

(Reuters/Arquivo)

Segundo aquela publicação, Portugal está entre os "dez principais destinos do investimento externo chinês no setor imobiliário", uma lista encabeçada pelos Estados Unidos, a Austrália e o Canadá.


O Reino Unido aparece em quarto lugar, seguido da Nova Zelândia, Tailândia, Espanha, Portugal, Singapura e Malásia.


Em 2013, Portugal ocupava o 11.º lugar daquela lista, atrás de Chipre e da Alemanha, dois países europeus que entretanto deixaram de figurar entre os "dez mais".


No espaço de apenas um ano, entre abril de 2013 e março de 2014, o montante das casas compradas por cidadãos chineses nos Estados Unidos somou cerca de 23.000 milhões de dólares (20.857 milhões de euros), diz a revista News China numa reportagem publicada na edição de fevereiro com o título "um lugar ao sol".


Referindo-se aos "vistos gold" introduzidos em 2012 pelo governo português, a revista indica que cerca de 85% das casas vendidas em Portugal ao abrigo daquela política foram compradas por chineses.


"Pela lei de imigração portuguesa, investidores não-europeus podem obter uma autorização temporária de residência no país depois de comprarem uma propriedade no valor de,, pelo menos, 500.000 euros", "ao fim de cinco anos podem obter uma autorização permanente" e "um ano mais tarde podem requerer a nacionalidade", salienta a revista.


"Há cada vez mais chineses a comprar propriedades no estrangeiro para assegurar o direito de residência em regiões como a Europa e a América do Norte", afirma a News China.



A revista não precisa se a lista dos dez principais destinos do investimento externo chinês no setor imobiliário é baseada no montante global das aquisições ou no número de investidores.


Em junho passado, o consórcio chinês Wanda Group pagou 265 milhões de euros por um dos mais antigos arranha-céus de Madrid.


Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.