sicnot

Perfil

Economia

Faria de Oliveira quer um setor bancário mais honesto

Faria de Oliveira quer um setor bancário mais honesto

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos defende mais honestidade, no setor bancário, para que os portugueses recuperem a confiança nas instituições. Na véspera de prestar declarações, na comissão parlamentar de inquérito ao BES, Faria de Oliveira, reconhece que houve falta de rigor não só neste caso, mas em outros.

  • Ricardo Salgado desobedeceu ao Banco de Portugal
    1:56

    Economia

    A auditoria forense ao BES encontrou indícios de gestão ruinosa praticada pela administração do Banco Espírito e Santo e do Espírito Santo Financial Group. O Jornal de Negócios avançou ontem à noite que Ricardo Salgado desobedeceu ao Banco de Portugal. Detalhes que constam do sumário executivo que o supervisor enviou à comissão parlamentar de inquérito que investiga a gestão do BES e do GES.

  • "Grandes homens medem-se pela capacidade de reconhecer erros”
    2:35

    Queda do BES

    O antigo presidente da Portugal Telecom, Henrique Granadeiro, disse ontem no Parlamento estar convencido de que Zeinal Bava, antigo gestor da operadora, conhecia o investimento da empresa em dívida da Rioforte. Antes, Henrique Granadeiro disse ser responsável apenas por um investimento de 200 milhões de euros da PT SGPS na Rioforte, num total de 897 milhões de euros. José Gomes Ferreira elogia o depoimento de Granadeiro na comissão parlamentar de inquérito ao caso BES e sublinha que os "grandes homens medem-se pela capacidade de reconhecer erros e não só pelas virtudes". Na análise feita no Primeiro Jornal, José Gomes Ferreira realçou também que “há uma grande diferença entre este depoimento e o de Zeinal Bava”.

  • Ex-administrador da PT SGPS diz que Bava propôs favorecimentos e contraria Granadeiro
    2:37

    Economia

    A relação entre o Grupo Espírito Santo (GES) e a Portugal Telecom (PT) pode ter ficado mais clara após a audição de um antigo administrador financeiro da PT, na comissão parlamentar de inquérito ao Banco Espírito Santo (BES). Pacheco de Melo falou de uma ocasião em que o então presidente executivo Zeinal Bava propôs favorecimentos e contrariou o ex- presidente do Conselho de Administração Henrique Granadeiro sobre o investimento ruinoso de 900 milhões de euros, no qual diz ter sido enganado pela família Espírito Santo.

  • Lisboa assinala fim das obras no Saldanha
    2:39