sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a caírem em todos os prazos para mínimos de sempre

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a cair em todos os prazos em relação a sexta-feira, para mínimos de sempre, alinhados com os juros da Irlanda, Itália e Espanha.         

SIC

Hoje, cerca das 08:40 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a cair para 1,735%, um mínimo de sempre, contra 1,760% na sexta-feira.

No mesmo sentido, os juros a dois anos também estavam a recuar para 0,159%, um mínimo histórico, contra 0,201% na sexta-feira.

A cinco anos, os juros estavam a descer para 0,874%, um mínimo de sempre, contra 0,894% na sexta-feira. 

A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado por Portugal à 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam a descer a cinco e dez anos, bem como os de Itália e de Espanha em todos os prazos. 

Em relação aos juros da Grécia, estes estavam a subir a cinco e a dez anos, para valores em torno dos 12,4% e de 9,4%, respetivamente.



Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 08:40:



           2 anos... 5 anos... 10 anos 

 

Portugal 



09/03..... 0,159......0,874....1,735

06/03..... 0,201......0,894....1,760



Grécia 



09/03..... n disp....12,452....9,625

06/03..... n disp....12,049....9,407



Irlanda



09/03......n disp......0,271....0,845

06/03......n disp......0,282....0,869



Itália



09/03......0,160......0,505....1,288

06/03......0,181......0,537....1,317

 

Espanha



09/03......0,109......0,495....1,262

06/03......0,116......0,531....1,295



Fonte: Bloomberg Valores de 'bid' (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão
  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.