sicnot

Perfil

Economia

Galp começa a prospeção de petróleo na costa alentejana até início de 2016

O consórcio que integra a Galp Energia vai começar a prospeção de petróleo na costa alentejana no final deste ano ou no início de 2016, num investimento superior a 100 milhões de dólares. 

Em declarações aos jornalistas, o presidente da Galp anunciou hoje que o consórcio, liderado pela italiana Eni, arrancará com a perfuração do 'deep off shore' (alto mar) português "no final deste ano ou no início do próximo", realçando que a probabilidade de sucesso é "inferior a 20%". 

"Vamos ver se a natureza nos ajuda", lançou Ferreira de Oliveira, à margem do dia do investidor, altura em que a petrolífera revelou os planos estratégicos para os próximos cinco anos. 

A italiana Eni detém uma participação maioritária de 70% na parceria com a Galp para a prospeção de petróleo na costa alentejana, que representará um investimento acima de 100 milhões de dólares. 

O gestor realçou que a Galp Energia participa em mais de meia centena de consórcios, mas em todos eles tem uma participação máxima de 20%, adiantando que o caso português "é um bocado ambicioso". 

Ainda assim, mesmo com ajuda da natureza, Ferreira de Oliveira lembrou que só "em meados da década de 20 seria possível ter produção de petróleo em Portugal". 

A petrolífera anunciou em dezembro a parceria com a Eni para este projeto.



Lusa
  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07