sicnot

Perfil

Economia

FMI aprova novo plano de resgate para a Ucrânia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou hoje um novo programa de resgate financeiro da Ucrânia, de 16.600 milhões de euros e quatro anos de duração, com o objetivo de ajudar à "estabilização imediata" da economia de Kiev. 

© Gleb Garanich / Reuters

"Este novo programa de quatro anos apoiará a imediata estabilização económica na Ucrânia e o conjunto de profundas e amplas reformas destinadas a repor um crescimento sólido a médio prazo e melhorar as condições de vida dos ucranianos", afirmou Christine Lagarde, diretora executiva do FMI em comunicado.

Estes novos fundos (em dólares, 17.500 milhões) são parte de um pacote internacional de cerca de 40 mil milhões de dólares (38 mil milhões de euros), no qual também participarão a União Europeia, os Estados Unidos e outros organismos internacionais.

Lagarde disse que este novo programa "trará à Ucrânia mais fundos, mais tempo, mais flexibilidade e melhores condições de financiamento".

No entanto, a responsável admitiu que o plano é "ambicioso e inclui riscos assinaláveis, especialmente os procedentes do conflito no leste do país". 

Com o anúncio da aprovação pelo FMI, haverá um desembolso imediato de uma primeira parcela do pacote, no valor de 5 mil milhões de dólares (4.700 milhões de euros).

O novo programa substitui o acordado em abril de 2014, no montante de 16.100 milhões de euros (17 mil milhões de dólares), mas contém condições menos exigentes que as anteriores.

A diretora do FMI insistiu no "profundo compromisso reformador" e na "disciplina fiscal" de Kiev num "momento muito complicado".

De entre as medidas adotadas, destacou o ajuste cambial, que depreciou o valor da moeda local, a grivna, quase 30% desde o início do ano, e a subida das tarifas do consumo de gás.

Para o futuro, Lagarde apontou a necessidade de restruturar o setor bancário, tornar mais eficientes as empresas públicas e os intercâmbios judiciais para combater a corrupção e fortalecer o Estado de direito.


Lusa
  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC