sicnot

Perfil

Economia

FMI aprova novo plano de resgate para a Ucrânia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou hoje um novo programa de resgate financeiro da Ucrânia, de 16.600 milhões de euros e quatro anos de duração, com o objetivo de ajudar à "estabilização imediata" da economia de Kiev. 

© Gleb Garanich / Reuters

"Este novo programa de quatro anos apoiará a imediata estabilização económica na Ucrânia e o conjunto de profundas e amplas reformas destinadas a repor um crescimento sólido a médio prazo e melhorar as condições de vida dos ucranianos", afirmou Christine Lagarde, diretora executiva do FMI em comunicado.

Estes novos fundos (em dólares, 17.500 milhões) são parte de um pacote internacional de cerca de 40 mil milhões de dólares (38 mil milhões de euros), no qual também participarão a União Europeia, os Estados Unidos e outros organismos internacionais.

Lagarde disse que este novo programa "trará à Ucrânia mais fundos, mais tempo, mais flexibilidade e melhores condições de financiamento".

No entanto, a responsável admitiu que o plano é "ambicioso e inclui riscos assinaláveis, especialmente os procedentes do conflito no leste do país". 

Com o anúncio da aprovação pelo FMI, haverá um desembolso imediato de uma primeira parcela do pacote, no valor de 5 mil milhões de dólares (4.700 milhões de euros).

O novo programa substitui o acordado em abril de 2014, no montante de 16.100 milhões de euros (17 mil milhões de dólares), mas contém condições menos exigentes que as anteriores.

A diretora do FMI insistiu no "profundo compromisso reformador" e na "disciplina fiscal" de Kiev num "momento muito complicado".

De entre as medidas adotadas, destacou o ajuste cambial, que depreciou o valor da moeda local, a grivna, quase 30% desde o início do ano, e a subida das tarifas do consumo de gás.

Para o futuro, Lagarde apontou a necessidade de restruturar o setor bancário, tornar mais eficientes as empresas públicas e os intercâmbios judiciais para combater a corrupção e fortalecer o Estado de direito.


Lusa
  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.