sicnot

Perfil

Economia

Juncker "impressionado" com iniciativa de Portugal, Espanha e França sobre energia

O presidente da Comissão Europeia afirmou-se hoje "impressionado" com a iniciativa dos governos português, espanhol e francês no sentido de garantir um reforço das interligações de eletricidade, para por fim ao isolamento da Península Ibérica em termos energéticos.

Reuters

Num debate no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, sobre a próxima cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia (a 19 e 20 de março), cuja agenda será dedicada, entre outros temas, à criação da "União da Energia", Jean-Claude Juncker apontou a cimeira realizada na semana passada em Madrid, na qual participou, como um bom exemplo de uma ação concreta para por termo a "elementos irracionais" no atual panorama energético da UE.

"No Conselho Europeu de 2002 em Barcelona, ao qual assisti como primeiro-ministro do meu país [Luxemburgo], acordámos um objetivo de interligações de 10%. Estamos longe [desse objetivo], mas, com as decisões que tomámos em Madrid, aproximar-nos-emos desse objetivo", disse, observando que, atualmente, a Península Ibérica é, de facto, "uma verdadeira ilha em termos de aprovisionamento energético".

Na reunião de Madrid celebrada a 04 de março, o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, o chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, e o presidente francês, François Hollande, assinaram uma declaração conjunta na qual se comprometem a trabalhar em conjunto para que a Península Ibérica deixe de ser uma "ilha do ponto de vista energético", com um mecanismo de monitorização que assegure o cumprimento da meta de 10% até 2020.

"Estou impressionado pelo facto de os três governos envolvidos terem estabelecido um grupo de trabalho que seguirá a aplicação das medidas que tomámos em Madrid. Se o tivéssemos feito em 2002, não teríamos que o fazer agora. Trata-se de agir de forma concreta. Foi o que fizemos em Madrid, há uma semana, e é o que devemos fazer para por termo a elementos irracionais na nossa paisagem energética", declarou Juncker perante os eurodeputados
  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.