sicnot

Perfil

Economia

Produção industrial sobe 1,2% na zona euro em janeiro e cai 1,8% em Portugal

A produção industrial aumentou 1,2% na zona euro em janeiro deste ano, face ao mesmo mês do ano passado, enquanto em Portugal manteve a tendência negativa e caiu 1,8%, segundo o Eurostat.

© China Daily China Daily Infor

De acordo com os dados divulgados hoje pelo gabinete de informação estatística europeu sobre o desempenho da indústria europeia em janeiro, a produção industrial subiu 1,2% na zona euro em termos homólogos, mas recuou 0,1% se a comparação for feita com o mês anterior (dezembro de 2014).

Em Portugal, comparando janeiro deste ano com janeiro do ano passado, a produção industrial caiu 1,8%, perfazendo o terceiro mês consecutivo negativo. 

Já na variação em cadeia, janeiro face a dezembro, a produção industrial avançou 1,2% em Portugal, voltando a terreno positivo após dois meses negativos.

Quanto no total dos 28 países da União Europeia, a produção industrial aumentou 1,5% e termos homólogos e ficou estável na comparação mensal (0,0%). 

Já os Estados-membros com melhor desempenho em termos homólogos foram Irlanda (+8,8%), Malta (+8,1%) e Hungria (+7,8%), enquanto as maiores baixas se registaram na Croácia (-4,9%), Finlândia (-4,2%) e Letónia (-3,5%). 

Na comparação mensal, destaque para os avanços de Malta (+6,1%), Hungria (+4,3%) e Bulgária (+2,0%) e as quedas de Croácia (-4,0%), Letónia (-3,1%), Finlândia (-2,5%) e Lituânia (-2,3%).


Lusa
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.