sicnot

Perfil

Economia

Adesão à greve do Metropolitano de Lisboa "é elevada", diz sindicato

A adesão dos trabalhadores à greve do Metropolitano de Lisboa era hoje às 07:30 "elevada", encontrando-se as portas das estações encerradas até às 10:00, disse à agência Lusa a sindicalista Anabela Carvalheira. 

(Lusa/Arquivo)

"A adesão, à semelhança das greves anteriores, é elevada. Está a decorrer normalmente, encontrando-se as estações fechadas. Os trabalhadores que deveriam ter entrado nas áreas operacionais não entraram", disse à Lusa Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

De acordo com a sindicalista da FECTRANS, a expectativa é que se mantenham os índices de adesão das últimas greves.

"Em causa está a intenção da concessão, a defesa da empresa no setor público e um serviço de qualidade às populações, as questões mais específicas das condições de trabalho que não estão a ser cumpridas. Em suma, é o continuar de uma luta que já é longa e que o Governo não quer de maneira nenhuma resolver, antes pelo contrário", criticou.

As estações do Metropolitano de Lisboa abrem hoje apenas às 10:00 - foram encerradas por decisão do Metropolitano de Lisboa -, devido a uma greve parcial dos trabalhadores, que decorre esta manhã, para contestar as condições de trabalho.

A greve parcial dos trabalhadores decorre entre as 06:30, hora normal de abertura das estações, e as 09:30, devendo a abertura das mesmas e a circulação das composições acontecer a partir das 10:00, divulgou a empresa, em comunicado.

A paralisação, convocada por diversos sindicatos, é a primeira desta semana, já que se realizará outra greve parcial na quarta-feira.

Os trabalhadores do metro já realizaram uma greve nestes moldes a 23 de fevereiro passado e adiaram para hoje e quarta-feira uma outra paralisação que esteve marcada para 26 do mês passado.

Segundo o sindicato, entre as razões para a greve estão "a falta de diálogo, quer por parte da empresa quer do Governo, para resolver os problemas concretos de trabalho da maior parte das categorias profissionais, a redução cada vez mais acentuada do número de trabalhadores" e "a defesa da empresa enquanto empresa pública".

Devido à greve, a Carris vai reforçar o número de autocarros nos trajetos servidos pelas carreiras 726 (Sapadores-Pontinha), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação da Damaia), que coincidem com eixos servidos pelo Metro, acrescentou o Metropolitano, em comunicado.


Lusa
  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.