sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida a cair em todos os prazos para novos mínimos

Os juros da dívida soberana portuguesa voltaram hoje a bater recordes mínimos. Estão a cair, mais uma vez, em todos os prazos e para os valores mais baixos de sempre.

(Reuters/Arquivo)

Hoje, cerca das 08:55 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a descer para 1,519%, um mínimo de sempre, contra 1,560% na passada sexta-feira.

Os juros a cinco anos também estavam a cair, para 0,815%, um mínimo de sempre, contra 0,848% na sexta-feira. 

No mesmo sentido, os juros a dois anos estavam a recuar para 0,086%, um mínimo histórico, contra 0,114% no final da semana passada.

A 09 de março passado, o Banco Central Europeu (BCE) arrancou com um programa sem precedentes de compra de dívidas soberanas e privadas, que vai permitir injetar 60 mil milhões de euros por mês, até, pelo menos, setembro de 2016, na economia da zona euro na esperança de a redinamizar.        
O objetivo desta operação, denominada "Quantitative Easing" (QE), é criar um círculo virtuoso para a Economia: sob o efeito de uma forte procura as taxas de juro das obrigações deverão descer, forçando os bancos a aplicar o dinheiro noutros sítios, designadamente a conceder crédito às empresas e aos consumidores. 

Para os mercados, o QE marca uma mudança histórica da política monetária do BCE.  

Os bancos centrais nacionais, como o Bundesbank ou o Banco de Portugal, entre os outros dos Estados-membros, serão os principais executantes do QE, já que está previsto que façam 92% das compras. 

Os efeitos do programa fazem-se sentir por antecipação há várias semanas nas taxas de juro das dívidas soberanas, que evoluem em sentido inverso ao da procura e têm renovado mínimos diariamente. Algumas das taxas tornaram-se negatias nos prazos mais curtos, ou seja, os investidores estão dispostos a pagar para deter estes títulos considerados muito seguros.   

A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado por Portugal à 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam a subir a cinco e dez anos, enquanto os juros de Itália estavam a subir a dois anos e a cair nos prazos mais longos. Os juros de Espanha estavam a cair a dois anos e a subir a cinco e dez anos. 

Em relação aos juros da Grécia, estes estavam a subir a cinco anos e a descer a dez, para valores em torno dos 15,4% e de 10,7%, respetivamente.


Lusa
  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.