sicnot

Perfil

Economia

FMI recomenda reavaliação de reformas do setor público

Os técnicos do Fundo Monetário Internacional (FMI) consideram que é preciso "rever as reformas" que não tiveram os resultados pretendidos e que pode ser preciso "reexaminar algumas reformas do setor público". 

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O FMI divulgou hoje as conclusões preliminares da missão técnica no âmbito das consultas regulares ao abrigo do Artigo IV, as quais "não representam necessariamente as opiniões do Conselho de Administração do FMI". Os técnicos do Fundo vão redigir um relatório que será depois submetido à aprovação do 'board' da instituição, o que deverá ocorrer na primeira semana de maio.

No documento hoje conhecido, em que se identificam os desafios que persistem (criação de emprego, redução do endividamento das empresas e continuação da consolidação orçamental), os técnicos do FMI pedem mesmo "maior rigor" aos decisores políticos no sentido de combater as restrições à competitividade e ao investimento.

No caso português, acrescentam, "compete às reformas estruturais proporcionar um maior impulso" à competitividade. E considerando que o Governo executou durante o resgate "um grande número de reformas estruturais", os técnicos do FMI defendem que "o desafio para os decisores políticos será consolidar essas realizações".

Para isso, "será preciso rever as reformas que não produziram os resultados almejados, concluir a execução das reformas já iniciadas e abordar os constrangimentos remanescentes por meio de reformas complementares".

Sublinhando que a qualidade das políticas e dos serviços públicos "é crucial" para a competitividade das empresas e para o bem-estar dos cidadãos, os técnicos do FMI alertam que "talvez seja preciso reexaminar algumas reformas do setor público".

"As reformas da administração fiscal e do sistema de saúde já produziram resultados concretos, mas aquelas destinadas a melhorar a capacidade de resposta da administração pública às necessidades das sociedades e a fortalecer a disciplina nos pagamentos às entidades do setor público foram muito menos bem-sucedidas, sobretudo ao nível ao nível autárquico", escreve a missão, apelando a uma "reforma profunda do Estado".

Já no que se refere ao mercado de produtos, os técnicos afirmam que é preciso "concluir a implementação das reformas que foram iniciadas", apontando que "ainda estão pendentes" algumas medidas centradas na redução dos custos energéticos, no uso das infraestruturas de transportes e nos custos dos serviços profissionais.

Em concreto, os representantes do Fundo consideram que a Autoridade da Concorrência "precisa de contar com os recursos e o apoio necessários para combater mais energicamente práticas anti concorrenciais nos setores protegidos".

Reconhecendo que "seja difícil reverter totalmente os custos legados de erros de políticas do passado em áreas como energia e infraestruturas rodoviárias", os técnicos entendem que, no futuro, "será especialmente importante evitar derrapagens nas reformas nessas áreas".

O denominado Artigo IV do FMI prevê que sejam feitas análises às economias dos membros do Fundo, geralmente todos os anos.


Lusa
  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC