sicnot

Perfil

Economia

Portugal com a maior queda do custo de mão-de-obra na UE

O custo da mão-de-obra caiu 8,8% em Portugal no último trimestre de 2014, face ao mesmo período do ano anterior, no maior recuo entre os Estados-membros da União Europeia (UE), divulgou hoje o Eurostat.

Segundo os dados do gabinete oficial de estatísticas, entre outubro e dezembro de 2014, o preço por hora da mão-de-obra cresceu 1,1% na zona euro e 1,4% no total dos 28 países da UE, abaixo dos valores registados no terceiro trimestre.

Em Portugal, depois de o custo horário da mão-de-obra ter aumentado nos segundo e terceiro trimestre (3,2% e 0,5%, respetivamente), no quarto trimestre regressou às quedas e a recuar 8,8%, sendo mesmo a maior queda entre os parceiros europeus.

Desagregando os dados, houve um recuo dos salários e vencimentos de 9,7%, enquanto as despesas não salariais diminuíram 5,8%.

Além de Portugal, os países em que o custo da mão-de-obra caiu no quarto trimestre foram Chipre (2,2%), Croácia (0,5%), Itália (0,3) e Irlanda (0,1%).

Em sentido contrário, destaque para os aumentos deste índice na Roménia (7,9%), Estónia (6,5%), Letónia (6,1%), Lituânia (5,7%) e Eslováquia (5,1%).

O índice dos custos horários da mão-de-obra é um indicador conjuntural da evolução dos custos suportados pelos empregadores e é calculado dividindo o custo da mão-de-obra pelo número de horas trabalhadas.

Os dois principais componentes dos custos de trabalho são salários e outras despesas, como obrigações sociais a cargo do empregador.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho