sicnot

Perfil

Economia

Taxa de empregos disponíveis sobe para 1,6% na zona euro no 4.º trimestre de 2014

A taxa de empregos disponíveis na zona euro estabeleceu-se nos 1,8% no quarto trimestre de 2014, uma subida face aos 1,6% do período homólogo de 2103 e do trimestre anterior, divulga hoje o Eurostat.

No conjunto dos 28 Estados-membros, a taxa de empregos disponíveis foi de 1,7%, acima dos 1,5% do último trimestre de 2013 e dos 1,6% do terceiro trimestre de 2014.


Os dados do gabinete de estatísticas da União Europeia (UE) mostram ainda que Portugal teve, no último trimestre de 2014, a quarta menor taxa de disponibilidade de empregos (0,6%), a par da Croácia, Espanha e Eslovénia, países que são ultrapassados pelas Polónia (0,5%), Letónia (0,4%) e Chipre (0,3%).


Em Portugal, o indicador subiu na comparação com o período homólogo (0,4%), mas baixou face ao trimestre anterior (0,7%).


A Alemanha(3,2%), o Reino Unido (2,4%) e a Bélgica (1,9%) foram os Estados-membros com as mais elevadas taxas de empregos disponíveis, no período considerado.


Na zona euro, os setores dos serviços e da construção foram os que apresentaram as maiores taxas de empregos disponíveis (2,4% cada), enquanto a da indústria se fixou nos 1,1%.


Já na UE, o setor dos serviços apresentou, no último trimestre de 2014, taxas de empregos disponíveis de 2,2%, enquanto a indústria e a construção não foram além dos 1,1%.


A taxa de empregos disponíveis mede em percentagem a quantidade de novos postos de trabalho criados ou de vagas a abrir brevemente e para os quais o empregador deve procurar um candidato externo à empresa.


Lusa

 

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.