sicnot

Perfil

Economia

Ferreira de Oliveira e Luís Palha da Silva deixam administração da Galp Energia

O presidente executivo da Galp Energia, Manuel Ferreira de Oliveira, e o seu vice-presidente, Luís Palha da Silva, vão abandonar os cargos, anunciou hoje a petrolífera.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Galp Energia adianta que "Manuel Ferreira de Oliveira, vice-presidente do Conselho de Administração e presidente da comissão executiva" e "Luís Palha da Silva, vice-presidente do Conselho de Administração e da comissão executiva (...) informaram o Conselho de Administração" de que "não pretendiam integrar as listas para qualquer órgão social" da petrolífera na próxima assembleia-geral da empresa, que é eletiva, convocada para 16 de abril.

Ferreira De Oliveira "colaborou com a sociedade ao longo de cerca de 14 anos, primeiro como presidente executivo da Petrogal, tendo, numa segunda fase, sido eleito para liderar a comissão executiva da Galp Energia há cerca de nove anos", lembra a Galp Energia, adiantando que "o longo período de colaboração e as transformações operadas" no grupo petrolífero "sob a sua liderança são merecedores de uma pública manifestação de apreço e reconhecimento pela empresa".

Já Palha da Silva exerceu funções como administrador executivo no último mandato "de forma competente e dedicada, o que merece o agradecimento da empresa", acrescenta.

O Conselho de Administração da Galp Energia deseja a "continuação do sucesso profissional" de Manuel Ferreira de Oliveira e de Palha da Silva "em novas funções que, num outro contexto, venham a desempenhar", conclui a Galp no comunicado.


  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19