sicnot

Perfil

Economia

Standard & Poor's mantém notação de Portugal mas sobe perspetiva para positiva

A agência de notação financeira Standard & Poor's manteve esta sexta-feira o 'rating' de Portugal em BB, mas elevou a perspetiva de estável para positiva em virtude da esperada recuperação da economia no país.

Segundo a Standard & Poor's, na informação divulgada na página da agência na Internet, o 'rating' 'BB' indica que a entidade avaliada é "menos vulnerável no curto prazo mas enfrenta grandes incertezas em curso ligadas a condições económicas e financeiras e a negócios adversos". (Arquivo)

Segundo a Standard & Poor's, na informação divulgada na página da agência na Internet, o 'rating' 'BB' indica que a entidade avaliada é "menos vulnerável no curto prazo mas enfrenta grandes incertezas em curso ligadas a condições económicas e financeiras e a negócios adversos". (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Em nota hoje divulgada, a agência diz projetar para os próximos 12 meses uma subida do 'rating' de Portugal, daí elevar a perspetiva nesta fase.

Tal subida deverá verificar-se se se concretizar uma subida real da economia e uma maior consolidação das contas públicas da parte do Governo, prossegue a Standard & Poor's.

A dívida pública portuguesa, acredita a entidade, deverá caír para 113% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018.

"Acreditamos que a melhoria do desempenho económico, apoiado na recuperação da procura interna e redução gradual nos [números de] subsídios de desemprego, contribuam para a redução do défice em 2015", frisa ainda a agência de 'rating'.

Segundo a Standard & Poor's, na informação divulgada na página da agência na Internet, o 'rating' 'BB' indica que a entidade avaliada é "menos vulnerável no curto prazo mas enfrenta grandes incertezas em curso ligadas a condições económicas e financeiras e a negócios adversos". 
Lusa
  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24