sicnot

Perfil

Economia

Exportações para o Japão subiram 3,1% em 2014

As exportações de bens portugueses para o Japão subiram 3,1% no ano passado, face a 2013, para 124,9 milhões de euros, enquanto as importações recuaram 8,3% para 251 milhões de euros, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

No ano passado, o saldo da balança comercial entre Lisboa e Tóquio foi negativa para Portugal em 126,1 milhões de euros, de acordo com a mesma fonte.

 

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, visita o Japão entre quinta-feira e sábado, liderando uma comitiva que integra os ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, da Economia, António Pires de Lima, e do Ambiente, Ordenamento do Território e energia, Jorge Moreira da Silva, e o secretário de Estado da Energia, Artur Trindade.

 

Só no mês de janeiro, as exportações cresceram 35,2% para 14,1 milhões de euros, enquanto as importações recuaram 18,5% para 19,3 milhões de euros.

 

O Japão é o 35.º cliente de Portugal e o 29.º fornecedor.

 

Em 2013, havia 761 empresas portuguesas a exportarem para o Japão, mais 36 do que em 2012. De acordo com os dados do INE, as empresas exportadoras para o mercado nipónico têm vindo a crescer desde 2009.

 

Portugal é o 68.º cliente do Japão e ocupa o 66.º lugar enquanto fornecedor.

 

Em 2014, quase um quarto (23,5%) do total das vendas ao Japão diziam respeito a produtos alimentares, ascendendo a 29,4 milhões de euros, embora as exportações deste tipo de produtos tenha recuado 23,3% face a 2013.

 

Os tomates preparados ou conservados, exceto em vinagre ou em ácido acético, foram o principal produto exportado, com vendas de 22,7 milhões de euros no ano passado, representando um recuo de 8% face a 2013.

 

As exportações de químicos, com um peso de 17%, totalizaram 21,2 milhões de euros, um aumento de 25,9% face ao ano anterior, seguido das máquinas e aparelhos (peso 12,3%), cujas vendas ascenderam a 15,3 milhões de euros, mas recuaram 40%.

 

Em termos de bens importados, os veículos e outros materiais de transporte, máquinas e aparelhos e plásticos e borracha são os três grupos mais comprados por Portugal.

 

As compras de veículos e outros materiais de transporte, que representam mais de um terço (35,5%) do total das importações em 2014, subiram 13,8% para 89,2 milhões de euros, com as máquinas e aparelhos (32,4%) a totalizarem 81,4 milhões de euros, uma subida de 3%.

 

Já no segmento de plásticos e borracha, as importações (peso 10,7%) recuaram 6,3% para 26,8 milhões de euros.

 

No que respeita às exportações de serviços, segundo dados do Banco de Portugal, estas ascenderam a 48,6 milhões de euros no ano passado, uma descida de 8,1% face aos 52,8 milhões de euros registados em 2013.

 

As importações de serviços subiram 27,2% para 56,9 milhões de euros em igual período, com o saldo da balança comercial negativo para Portugal em 8,4 milhões de euros.

 

As receitas do turismo japonês em Portugal totalizaram 21,2 milhões de euros em 2014, uma subida de 40,9% face ao ano anterior.


Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.