sicnot

Perfil

Economia

Passos visita Japão para reforçar laços económicos, científicos e culturais

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, inicia quinta-feira uma visita de três dias ao Japão, com o objetivo de reforçar os laços económicos, científicos e culturais, numa altura em que os dois países vivem um "momento de excelência nas relações". 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Toru Hanai / Reuters

Trata-se da primeira visita de um chefe de Governo português ao Japão em 25 anos, correspondendo ao convite feito em Lisboa no ano passado pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, na primeira ocasião em que um líder de executivo nipónico se deslocou a Portugal.

 

A visita, também com objetivos de captação de investimento, inclui um pequeno-almoço de trabalho em que o primeiro-ministro estará à mesa com responsáveis da associação empresarial que concentra a maior parte do Produto Interno Bruto (PIB) japonês, a Keidanren.

 

"Até pelo hiato temporal desde a última viagem, pelo momento de excelência nas relações com o Japão, que se tem consubstanciado na visita de vários membros do Governo e no maior contacto entre a AICEP e a sua congénere japonesa, numa componente de captação de investimento, houve a preocupação de responder ao convite no ano seguinte", disse à Lusa fonte diplomática.

 

De acordo com a mesma fonte, os objetivos da visita passam pelo reforço do relacionamento do ponto de vista económico, científico e cultural, identificando áreas em que tanto o Japão como Portugal têm experiência e 'know-how', e problemas comuns", incluindo uma "forte componente de investigação".

 

Em causa estão as áreas da energia e crescimento verde, a economia do mar e a inovação dedicada ao apoio à terceira idade.

 

Acompanham o primeiro-ministro na viagem o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, o ministro da Economia, António Pires de Lima, o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, e o secretário de Estado da Energia, Artur Trindade.

 

Em Quioto serão assinados diversos memorandos, designadamente entre a Universidade do Algarve, o IPMA e a Universidade de Kinki, e entre a Universidade do Algarve e a Faculdade de Ciências da Universidade de Hokkaido. Trata-se de cooperação na área da aquacultura e do intercâmbio de estudantes.

 

Em Tóquio, a agência para o investimento e comércio externo de Portugal, AICEP, assinará um memorando com a sua congénere nipónica, a Jetro.

 

Passos Coelho receberá o doutoramento honoris causa pela Universidade de Estudos Estrangeiros de Quioto, em "nome de Portugal e dos países em que o português é língua oficial, pelo apoio dado por Portugal à CPLP", a comunidade dos países de língua portuguesa, na qual o Japão tem estatuto de observador.

 

"As parcerias entre empresas e universidades dos dois países podem projetar-se muito além de Portugal, que tem relações privilegiadas com África e a América Latina, e o Japão, que tem um papel privilegiado na Ásia", sustentou a mesma fonte diplomática.

 

O primeiro dia da visita, em Quioto, na quinta-feira, é marcado pelo doutoramento honoris causa do primeiro-ministro, e inclui uma visita ao palácio imperial de Quioto, e a assinatura de memorandos de cooperação. A comitiva nesse dia segue de 'comboio-bala' para Tóquio.

 

O dia mais intenso do programa da viagem é passado em Tóquio, na sexta-feira, começando com o pequeno-almoço de trabalho na associação empresarial Keidanren, cerca das 08:00, prosseguindo com um encontro na congénere nipónica da AICEP, incluindo também o seminário empresarial 'smart cities - smart solutions', e ainda os encontros de Passos Coelho com o Imperador do Japão e o primeiro-ministro japonês.

 

No sábado, o primeiro-ministro termina a visita com um encontro com a comunidade portuguesa na residência do embaixador de Portugal em Tóquio.

 

Lusa

  • Exportações para o Japão subiram 3,1% em 2014

    Economia

    As exportações de bens portugueses para o Japão subiram 3,1% no ano passado, face a 2013, para 124,9 milhões de euros, enquanto as importações recuaram 8,3% para 251 milhões de euros, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.