sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a descer a dois anos para mínimos de sempre

Os juros da dívida portuguesa estavam esta sexta feira a cair em todos os prazos, a dois anos para mínimos de sempre, alinhados com os juros da Irlanda, Itália e Espanha.

© Yves Herman / Reuters

Hoje, cerca das 08:40 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a descer para 1,738%, contra 1,783% na quinta-feira. O mínimo de sempre foi de 1,560%, a 13 de março passado.                 

Os juros a cinco anos também estavam a cair, para 1,005%, contra 1,026% na quinta-feira, enquanto o mínimo de sempre foi de 0,823% a 12 de março.

No mesmo sentido, os juros a dois anos estavam a cair para 0,091%, um mínimo de sempre, contra 0,110% na quinta-feira. 

A 9 de março passado, o Banco Central Europeu (BCE) arrancou com um programa sem precedentes de compra de dívidas soberanas e privadas, que vai permitir injetar 60 mil milhões de euros por mês, até, pelo menos, setembro de 2016, na economia da zona euro na esperança de a redinamizar.        

Os efeitos do programa fizeram sentir-se por antecipação há várias semanas nas taxas de juro das dívidas soberanas, que evoluem em sentido inverso ao da procura e têm renovado mínimos diariamente. Algumas das taxas tornaram-se negativas nos prazos mais curtos, ou seja, os investidores estão dispostos a pagar para deter estes títulos considerados muito seguros.   

A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado por Portugal à troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam a cair a cinco e dez anos, bem como os de Itália e de Espanha em todos os prazos. 

Em relação aos juros da Grécia, estes estavam a subir a cinco anos e a cair a dez anos, para valores em torno dos 15,8% e de 11%, respetivamente.


Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 08:40:
      

              2 anos... 5 anos... 10 anos 

Portugal 

27/03..... 0,091......1,005....1,738

26/03..... 0,110......1,026....1,783


Grécia 

27/03..... n disp....15,843...11,037

26/03..... n disp....15,504...11,089


Irlanda

27/03......n disp......0,246....0,772

26/03......n disp......0,248....0,781


Itália

27/03......0,238......0,596....1,303

26/03......0,244......0,603....1,312

 
Espanha

27/03......0,067......0,571....1,250

26/03......0,079......0,581....1,266

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.