sicnot

Perfil

Economia

PR dedica jornada do Roteiro ao têxtil e ao vestuário

O Presidente da República realiza hoje, em Barcelos e Famalicão, a quarta jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica, dedicada à indústria têxtil e vestuário, setor que depois da crise conseguiu "dar a volta por cima".

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"Depois das tormentas, o ano de 2014 foi o melhor dos últimos 11 nas exportações do setor", afirmou fonte da Presidência da República.

 

Nesta quarta jornada, o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, irá visitar a Impetus, a Scoop e a Riopele, empresas com histórias e modelos de negócios diferentes, mas que são neste momento casos de sucesso.

 

Segundo dados fornecidos pela Presidência da República, a Riopele é das três a que apresenta o maior volume de negócios (71 milhões de euros em 2013), emprega mais de mil trabalhadores e é uma das grandes exportadoras nacionais.

 

Com pouco mais de 40 anos, a Impetus está especialmente vocacionada para a roupa interior e tinha em 2013 cerca de 700 trabalhadores e apresentou em 2012 um volume de negócios de 30 milhões de euros.

 

A Scoop foi criada em 1991 e hoje em dia a sua produção está especialmente vocacionada para o desenvolvimento de artigos de desporto, com especialização em áreas como o 'running', 'fitness', 'skiwear' e 'underwear' para grandes marcas, como a Tommy Hilfiger e a Rossignol. Com cerca de 70 trabalhadores, 90% dos quais mulheres, a Scoop exporta 100% da sua produção e no ano passado apresentou um volume de negócios na ordem dos sete milhões de euros.

 

Além destas empresas, Cavaco Silva irá ainda visitar o CeNTI - Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes e o CITEVE - Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário, ambos em Vila Nova de Famalicão.

 

A terminar, o Presidente da República participará numa sessão de homenagem à indústria têxtil.

 

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.