sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a descer a dois anos para mínimos de sempre

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a cair a dois anos para mínimos de sempre e a subir a cinco e dez anos em relação a sexta-feira.       

Francisco Seco

Hoje, cerca das 08:30 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a subir para 1,774%, contra 1,758% na sexta-feira. O atual mínimo de sempre é 1,560% e foi registado a 13 de março.                       


Os juros a cinco anos também estavam a subir, para 1,017%, contra 0,999% na sexta-feira, enquanto o mínimo de sempre, de 0,823%, foi registado a 12 de março.


Em sentido contrário, os juros a dois anos estavam a cair para 0,084%, um mínimo de sempre, contra 0,097% na sexta-feira. 


A 09 de março passado, o Banco Central Europeu (BCE) arrancou com um programa sem precedentes de compra de dívidas soberanas e privadas, que vai permitir injetar 60 mil milhões de euros por mês, até, pelo menos, setembro de 2016, na economia da zona euro na esperança de a redinamizar.        


Os efeitos do programa fizeram sentir-se por antecipação há várias semanas nas taxas de juro das dívidas soberanas, que evoluem em sentido inverso ao da procura e têm renovado mínimos diariamente. Algumas das taxas tornaram-se negativas nos prazos mais curtos, ou seja, os investidores estão dispostos a pagar para deter estes títulos considerados muito seguros.   


A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.


O programa de ajustamento solicitado por Portugal à 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo 
Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.


Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam a cair a cinco anos e a subir a dez anos, enquanto os de Itália estavam a cair em todos os prazos e os de Espanha estavam a subir a dois anos, estáveis a cinco anos e a cair a dez anos.  


Em relação aos juros da Grécia, estes estavam a cair a cinco anos e a subir a dez anos, para valores em torno dos 15,8% e de 11%, respetivamente.


Lusa
  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06