sicnot

Perfil

Economia

Recibos de renda eletrónicos obrigatórios a partir de maio

A partir de maio, todos os senhorios com rendas mensais superiores a 70 euros vão ser obrigados a emitir recibos electrónicos através do Portal das Finanças. A regra é válida para todos os proprietários com rendimentos de renda superiores a 838,44 euros anuais, segundo o Jornal de Negócios. A única excepção vai para o regime de arrendamento rural e para os senhorios com idade superior a 65 anos, embora estes tenham também de apresentar uma declaração anual.

REUTERS

Desta forma, o Governo procura obter um maior controlo sobre estes rendimentos. Além disso, para que os inquilinos possam deduzir as rendas no IRS, é preciso que os senhorios comuniquem ao Fisco quanto recebem.

De acordo com a edição de hoje do Jornal de Negócios, as novas regras sobre recibos eletrónicos foram criadas com a reforma do IRS, em vigor desde janeiro de 2015, mas que ainda não se sabia como iria ser concretizada. A portaria deverá ser publicada nos próximos dias e terá efeitos imediatos.

Além da exceção quanto ao valor, revela o Negócios que também os senhorios com idade igual ou superior a 65 anos podem optar por não o fazer. Quem não passar o recibo eletrónico fica obrigado a entregar uma declaração anual de rendas, a entregar nas finanças até 31 de janeiro do ano seguinte, em papel ou pela internet.

De fora, o fisco estima que ficam cerca de 60 mil senhorios.


Com Lusa
  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.