sicnot

Perfil

Economia

Morreu o economista José da Silva Lopes

O economista e antigo ministro das Finanças José Silva Lopes morreu esta quinta-feira aos 82 anos, informou o Banco de Portugal, numa nota de pesar à família daquele que também foi governador da instituição.

Ministro das Finanças, governador do Banco de Portugal, administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BERD), representante de Portugal junto do Banco Mundial ou presidente do Conselho Económico e Social foram alguns dos cargos desempenhados por Silva Lopes. (Arquivo)

Ministro das Finanças, governador do Banco de Portugal, administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BERD), representante de Portugal junto do Banco Mundial ou presidente do Conselho Económico e Social foram alguns dos cargos desempenhados por Silva Lopes. (Arquivo)

Lusa

"O governador e os membros do Conselho de Administração do Banco de Portugal endereçam à família do doutor José da Silva Lopes, hoje falecido, o seu voto de mais profundo pesar", refere a nota da instituição liderada por Carlos Costa.

Silva Lopes "foi um dos mais eminentes e reconhecidos economistas portugueses do século XX, tendo sido um atento investigador da economia nacional", destaca o Banco de Portugal (BdP), apontando que o economista, nascido em maio de 1932 "desempenhou prestigiados cargos".

Ministro das Finanças, governador do Banco de Portugal, administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BERD), representante de Portugal junto do Banco Mundial ou presidente do Conselho Económico e Social foram alguns dos cargos desempenhados por Silva Lopes.

"Hoje era ainda membro por inerência do Conselho consultivo do Banco de Portugal", salienta o BdP na nota.

José Silva Lopes, que foi governador do BdP entre 1975 e 1980, "conduziu a gestão do banco central num momento particularmente difícil da história económica e financeira recente do país".

Enquanto governador, "foi responsável pela introdução em Portugal do regime cambial de 'crawling-peg' (ou seja, de desvalorizações programadas do escudo), que ajudou a ultrapassar o período de profunda instabilidade macroeconómica vivido na sequência do primeiro choque petrolífero e da mudança de regime", salienta o BdP.

Silva Lopes "contribuiu ainda decisivamente para que, nos anos seguintes, o Banco de Portugal se afirmasse como um centro de excelência na análise económica e foi determinante para o reforço do prestígio da investigação económica realizada na instituição", acrescenta.

Nos anos 90, "teve também um papel fundamental na reformulação da legislação aplicável ao sistema financeiro português", sublinha a instituição, acrescentando que "nas sua relações pessoais e profissionais" Silva Lopes "cultivou sempre a vertente humana, a franqueza e a amizade".

O Conselho de Administração do BdP "promoverá oportunamente a realização de uma conferência internacional" em sua memória, conclui o BdP.

Com Lusa
  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37
  • Trump e Netanyahu discutiram "ameaças que o Irão coloca"

    Mundo

    O novo Presidente norte-americano, Donald Trump, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, debateram "as ameaças que o Irão coloca" e concordaram que a paz israelo-palestiniana só pode ser "negociada diretamente", anunciou este domingo a Casa Branca.