sicnot

Perfil

Economia

Paul Krugman refere-se à morte de José Silva Lopes como uma triste notícia

"Tristes notícias", foi assim que o economista norte-americano e prémio Nobel da Economia Paul Krugman começou um texto, que colocou no seu blogue, sobre a morte de José da Silva Lopes. 

© Brendan McDermid / Reuters

"Conheci Silva Lopes em 1976, quando integrei um grupo de estudantes do MIT, que passou o verão a trabalhar no Banco de Portugal, do qual era governador na altura", recorda Krugman.

"Trabalhar com Silva Lopes foi um dos principais acontecimentos" da estada em Portugal, acrescentou. 

No seu texto, que intitulou "José da Silva Lopes RIP" (iniciais de "Descanse em Paz", em inglês e latim), Krugman descreve Silva Lopes como "um economista e governante português que desempenhou um papel crucial na condução do seu país para a comunidade da Europa democrática". 

Vista a estadia em 1976 com os olhos de agora, Krugman admite que então Silva Lopes deve ter ficado "horrorizado ao tentar lidar com estudantes grosseiros, ao mesmo tempo que procurava enfrentar o caos de um sistema político instável, que o continua a ser, mas mostrando um bom humor e uma inteligência inesgotável". 

Depois de recordar vários episódios divertidos, passados com Silva Lopes em 1976, Krugman confessa ter-se sentido "honrado e encantado" por o ter revisto quando foi doutorado por três universidades lisboetas, em 2012, altura em que ouviu o seu discurso: "Se o lerem, verão que foi tão profundo, e bem-humorado, como sempre".

O Prémio Nobel considerou que "o mundo perdeu um grande, bom e incrivelmente amável homem". 

Ministro das Finanças, governador do Banco de Portugal, administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BERD), representante de Portugal junto do Banco Mundial ou presidente do Conselho Económico e Social foram alguns dos cargos desempenhados por Silva Lopes.




Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.