sicnot

Perfil

Economia

Uma centena de viagens de comboio já foi anulada hoje devido à greve na CP

Uma centena das 126 ligações de comboios previstas para hoje até às 08:00 foram canceladas devido à greve dos trabalhadores da CP -- Comboios de Portugal, revelou hoje da empresa.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

LUSA

Até às 08:00 da manhã estavam previstas 126 viagens, mas realizaram-se apenas 26, devido à greve ao trabalho em dia de feriado convocada pela Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) à qual se veio juntar um apelo do sindicado dos revisores para que os seus associados também aderissem ao protesto.

Já durante toda a quinta-feira, o primeiro dia de greve dos revisores da CP, nove em cada dez viagens também não se realizaram: das 1.407 circulações previstas, foram feitas 165 (11,7%), disse à Lusa fonte oficial da CP. 

Tal como na quinta-feira, também hoje as circulações menos afetadas foram as dos Intercidades e Alfa Pendular e, em contrapartida, as mais atingidas foram os comboios urbanos e regionais. 

Os revisores CP agendaram dois dias de greve (na quinta e próxima segunda-feira) para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996.

Além dos dois dias de greve convocados pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), o sindicato apelou aos seus associados que se juntassem ao protesto do Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF), que tem agendadas paralisações às horas extraordinárias e aos feriados e que decorre há já vários meses.

As perturbações na circulação são agravadas pela recusa de fixação de serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral, nomeado pelo Conselho Económico e Social. 










Lusa
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Johnny Depp sugere assassínio de Trump
    0:31