sicnot

Perfil

Economia

Greve na CP anulou 26 viagens de comboio das quase 250 previstas

A greve dos trabalhadores da CP provocou hoje a anulação de 26 das 246 viagens de comboio previstas, segundo fonte da empresa, que adiantou que a maioria das supressões foi registada nos serviços regionais.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

LUSA

Ao contrário do que aconteceu nos dois últimos dias, em que a maioria dos comboios não circulou, hoje a greve é apenas às horas extraordinárias e a grande maioria das viagens realizou-se.

Das 26 viagens anuladas, 21 diziam respeito a circulações do serviço regional, outras quatro eram viagens dos comboios urbanos de Coimbra e outra dos comboios urbanos de Lisboa.

Até às 10:00, foram suprimidos cerca de 10% das viagens enquanto nos últimos dois dias a percentagem de viagens anuladas foi superior a 80%.

A paralisação de hoje foi convocada pela Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) e faz parte de uma ação que tem decorrido nos últimos meses de greve aos dias de feriado e horas extraordinárias.

Alguns revisores, que na quinta-feira fizeram um primeiro dia de greve, aderiram à ação de sexta-feira (feriado) e de hoje (às horas extraordinárias), seguindo assim o apelo do Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial Itinerante (SNTSF).

Na segunda-feira, dia 06 de abril, cumpre-se o segundo dia de greve dos revisores da CP, convocada pelo SNTSF, prevendo-se - à semelhança de quinta-feira passada - impacto na circulação dos comboios.  










Lusa
  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.