sicnot

Perfil

Economia

Apenas 18 dos 262 comboios previstos circularam até às 8:00 devido à greve

Apenas 18 dos 262 comboios programados circularam até às 8:00 de hoje devido à greve dos revisores da CP, disse à agência Lusa uma fonte da empresa.

LUSA/ ARQUIVO

 "Até às 8:00 de hoje circularam 18 comboios em 262 previstos. No Porto não circulam comboios e em Lisboa circularam nove em 112 previstos" disse à Lusa a porta-voz da CP - Comboios de Portugal, Ana Portela.

De acordo com a mesma fonte, circularam sete Alfa-Pendulares e Intercidades e apenas um do serviço regional.

Os revisores CP agendaram uma greve de quatro dias (02, 03, 05 e 06 de abril) para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996.

A esta paralisação juntou-se a greve ao trabalho em dia feriado convocada pela Fectrans (Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações) na passada sexta-feira Santa e no domingo de Páscoa.

De acordo com a CP, as perturbações na circulação de comboios vão ser agravadas pela recusa da fixação de serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral, nomeado pelo Conselho Económico e Social. 

Na sequência das greves, a circulação ferroviária está a ser afetada desde quinta-feira, devendo os atrasos e supressões prolongar-se até terça-feira, 07 de abril, de manhã. 

A greve dos trabalhadores da CP obrigou à paragem de 704 dos 785 comboios que deveriam ter circulado no domingo, ou seja, 90% do total.

As ligações regionais, sem comboios durante todo o dia, foram fortemente penalizadas, bem como os serviços urbanos de Lisboa e do Porto.

Na capital, circularam 40 dos 319 comboios previstos e no Porto apenas seis de um total de 152.

Nas viagens de longo curso, efetuaram-se sete ligações Alfa e 23 InterCidades, ou seja, metade dos 60 comboios programados.

  • Greve na CP encerra 95% das bilheteiras

    Economia

    Cerca de 95 por cento das bilheteiras da CP estão hoje encerradas, devido à greve dos trabalhadores do setor comercial da empresa, que inclui também os revisores, disse à agência Lusa fonte sindical.

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC