sicnot

Perfil

Economia

Lagarde diz que riscos aumentaram nas economias emergentes

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou hoje que os riscos económicos diminuíram nas economias avançadas, impulsionadas pelos Estados Unidos e Reino Unido, e transferiram-se para as economias emergentes, como Rússia e o Brasil. 

© Mariana Bazo / Reuters

"As economias avançadas estão ligeiramente melhor do que no ano passado. A recuperação está a consolidar-se nos Estados Unidos e Reino Unido", afirmou Lagarde, num discurso no centro de estudos Atlantic Council de Washington, antes da reunião de primavera do FMI e do Banco Mundial na próxima semana.

Pelo contrário, "as previsões para as economias emergentes são ligeiramente piores do que há um ano, com os baixos preços das matérias-primas como uma das principais causas", apontou.

A China abrandou, a Rússia enfrenta dificuldades económicas, o Brasil estagnou e o Médio Oriente vive dificuldades políticas e económicas, resumiu Lagarde, indicando que a Índia é "um elemento brilhante".

Nas previsões que divulgou em janeiro, o FMI apontou para um crescimento global de 3,5% para este ano, depois dos 3,3% de 2014, um ritmo que Lagarde considerou insuficiente.

"Não é que o crescimento global seja mau, mas dado o impacto persistente da crise nas pessoas, o crescimento ainda não é suficientemente bom", afirmou Lagarde, que manifestou preocupação face à possibilidade de este período de "mediocridade" se converter na "nova realidade" económica.

Lagarde referiu-se especialmente aos riscos financeiros que passaram para os mercados emergentes e advertiu para a possibilidade de "sobressaltos" com uma subida das taxas de juro por parte da Reserva Federal, banco central norte-americano.

Questionada sobre o pagamento da Grécia ao FMI, a diretora-geral do Fundo confirmou que a instituição recebeu da Grécia o montante que tinha de ser feito até hoje (459 milhões de euros). Atenas já tinha anunciado previamente que dera ordem de pagamento.

Lusa

  • Os (maus) hábitos do português ao volante
    1:31

    País

    Os condutores portugueses estão a usar cada vez mais o carro e cada vez menos os transportes públicos. Um inquérito apresentado esta terça-feira pelo Automóvel Clube de Portugal (ACP) mostra que quase metade admite falar ao telemóvel enquanto conduz e cerca de um quinto já adormeceu ao volante enquanto conduzia.

  • E os nomeados são... conhecidos hoje

    Cultura

    São, esta terça-feira, conhecidos os nomeados para os Óscares. O anúncio vai ser feito a partir de Los Angeles quando forem 13h00 em Lisboa e seguido em direto numa emissão especial da SIC Notícias.

    Aqui a partir das 13:00

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • "Shutdown" nos EUA chegou ao fim
    1:05
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.