sicnot

Perfil

Economia

Ministra das Finanças insiste na necessidade de existir uma "almofada financeira"

A ministra das Finanças reiterou a importância de existir uma "almofada financeira" e "margens de prudência" que evitem o regresso às dificuldades do passado, contrariando as acusações do PCP que a dívida não é sustentável.

Tiago Petinga

"A dívida não aumentou, apareceu. A dívida já existia, só que não aparecia", afirmou a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, na abertura de interpelação ao Governo do PCP sobre a "continuação da política da 'troika' pelo Governo e na afirmação da política alternativa e das soluções para o país".

Lembrando os "perigos da desorçamentação", Maria Luís Albuquerque insistiu na necessidade de se preservar a estabilidade das contas públicas e de criar garantias para que as condições difíceis que o país atravessou não se repitam.

Daí, acrescentou, a importância de existir uma "almofada financeira" para assegurar que o país não volta a enfrentar as mesmas circunstâncias de há quatro anos.

Falando ainda em "reservas" para se alguma coisa "à nossa volta correr mal" e em "margens de prudência", a ministra das Finanças fez referência ao que se passa hoje na Grécia, com o Governo de Alexis Tsipras a querer negociar o programa de assistência, num momento em que "não tem um tostão nos seus cofres".

Na sua intervenção inicial, Maria Luís Albuquerque aludiu igualmente à negociação em taxas negativas dos juros da dívida pública portuguesa, frisando ter alguma dificuldade em associar estes números à "agiotagem" que o PCP condena.

Na primeira intervenção no debate da bancada do PCP, o deputado Francisco Lopes insistiu nas críticas dos comunistas ao rumo escolhido pelo Governo de maioria PSD/CDS-PP, falando numa "dívida insustentável que compromete o presente e o futuro do país".

"Entre os principais problemas e constrangimentos está o garrote da dívida pública", afirmou o deputado comunista, repudiando a multiplicação de declarações de responsáveis do PSD e do CDS, "acompanhados em surdina pelo PS", dizendo que a dívida é sustentável, "neste período de aproximação às eleições".

"A dívida que invocaram querer combater aumentou quase 80 mil milhões desde 2009 e atinge 128% do PIB, 225 mil milhões de euros. Isto é, se a correlação de forças o permitisse, após as eleições, não faltariam argumentos para um programa ainda mais violento contra os trabalhadores, o povo e o país, para tentar perpetuar este caminho de declínio nacional", sustentou Francisco Lopes.

Na sua intervenção, o deputado comunista anunciou ainda que o seu partido irá apresentar hoje um projeto de resolução com soluções para o país.

Entre as soluções preconizadas pelos comunistas está a renegociação da dívida pública, nos seus prazos, juros e montantes, a defesa dos serviços públicos e das funções do Estado, a valorização dos salários e a revogação do tratado orçamental.


Lusa
  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.