sicnot

Perfil

Economia

Costa acusa Passos de insistir no aumento da TSU para os trabalhadores

O secretário-geral do PS, António Costa, criticou hoje a intenção do primeiro-ministro de reduzir os custos do trabalho para as empresas, acusando Pedro Passos Coelho de insistir no aumento da Taxa Social Única (TSU) para os trabalhadores.

ESTELA SILVA

António Costa avisou, num encontro com militantes, em Bragança, que o PS não aceita um aumento da TSU aos trabalhadores para favorecer as empresas e questionou se "será aceitável reduzir esta contribuição antes de retirar o aumento da carga fiscal sobre os rendimentos do trabalho".

"Será justo voltar a reduzir as contribuições da Taxa Social Única [às empresas] antes de se reporem os antigos escalões do IRS [Imposto sobre o Rendimento Singular] que introduziram uma enorme distorção e que aumentaram a regressividade do IRS e constituíram um brutal aumento da carga fiscal sobre a classe média?", referiu o líder socialista.

O responsável questionou ainda a justiça desta medida antes de serem repostos "aqueles mínimos sociais que resultaram no corte do Rendimento Social de Inserção, do Complemento Social para Idosos, dos abonos de família".

Lusa
  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.