sicnot

Perfil

Economia

Volkswagen Autoeuropa parou esta tarde devido a falha no fornecimento de material

A Autoeuropa fez hoje uma paragem durante a tarde devido à falta de um tubo de travão para os veículos produzidos na fábrica de Palmela, "um problema logístico da inteira responsabilidade do fornecedor", informou fonte oficial da empresa.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

A administração da Volkswagen Autoeuropa não adianta mais explicações sobre o sucedido, mas o coordenador da Comissão de Trabalhadores, António Chora, considera que "não há motivo para preocupações".

"Houve um problema com um dos fornecedores, a TTS, que é responsável por colocar a produção na fábrica de Palmela e que, por qualquer razão que ainda desconhecemos, não entregou o material e obrigou à paragem do turno da tarde", disse á Lusa António Chora.

"Temos a informação de que o problema será resolvido até às 22:30 de hoje", acrescentou o representante dos trabalhadores.

Apesar de desvalorizar a paragem efetuada no segundo turno de hoje, António Chora referiu que, desde o início do ano, a fábrica de Palmela já foi forçada a fazer três downdays (dias de paragem da produção) devido à falta de material, além do meio-dia de paragem que ocorreu esta segunda-feira.

Questionado sobre o fornecimento alternativo de materiais que determinaram as paragens anteriores, designadamente dos vidros dos carros produzidos pela Dura Automotive, no Carregado, onde ocorreu um incêndio no passado dia 3 de março, António Chora disse que os materiais em causa estão a ser produzidos em diversas fábricas, pelo menos uma delas na Alemanha, mas acrescentou que se prevê que toda a produção volte em breve para Portugal.

 A Autoeuropa, a maior empresa do setor automóvel em Portugal, é responsável por mais de 3.600 postos de trabalho diretos e fundamental para a atividade de milhares trabalhadores de outras empresas portuguesas que são fornecedoras da fábrica de Palmela, no distrito de Setúbal.

Lusa

  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.