sicnot

Perfil

Economia

Custo salarial médio na OCDE foi 2,5 vezes superior ao da China em 2013

O custo salarial médio anual por trabalhador na OCDE foi de 46.506 dólares em 2013, 2,5 vezes superior ao de 18.400 dólares na China, segundo um estudo hoje divulgado.  

A diferença em 2013, o último ano para o qual existem números comparáveis, era ligeiramente inferior em relação ao Brasil (19.230 dólares), África do Sul (35.311 dólares), mas muito superior face a outros países emergentes como a Índia (4.768 dólares) e a Indonésia (6.185 dólares).

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) publicou pela primeira vez, em conjunto com os custos dos 34 países membros, os dados do grupo de grandes emergentes no estudo sobre o peso da tributação nos salários, ou seja dos impostos e cotizações sociais que as empresas pagam, mas que os trabalhadores não recebem. 

O peso da tributação nos salários, ou seja dos impostos e cotizações sociais que as empresas pagam, mas que os trabalhadores não recebem, foi em média 36% dos custos laborais nos 34 da OCDE em 2014, mais 0,1 pontos percentuais do que em 2013, ainda que com grandes diferenças no seio da organização. 

Este peso da tributação superou 50% do que as empresas pagaram aos seus empregados na Bélgica (55,6%) e ficou ligeiramente abaixo daquela percentagem na Áustria (49,4%), Alemanha (49,3%), Hungria (49%), França (48,4%) e Itália (48,2%).

No outro extremo, o peso da tributação foi de apenas 7% no Chile, 17,2% na Nova Zelândia, 19,5% no México, 20,5% em Israel, 21,5% na Coreia do Sul e 22,2% na Suíça. 

No caso dos grandes emergentes e com dados de 2013, a carga fiscal mais elevada foi a registada no Brasil (33,5%), seguida de perto pela China (33,7%) e muito abaixo pela África do Sul (14,3%), Indonésia (8,2%) e Índia (6,2%).

A Bélgica foi, mais um ano, em 2014 o país com os custos laborais mais elevados, com 71.686 dólares, seguida pela Suíça (70.663 dólares), Alemanha (68.735 dólares), Luxemburgo (67.557 dólares), Noruega (67.072 dólares), Holanda (65.303 dólares) e Áustria (65.046 dólares).

Lusa

  • "Podemos estar a sair da União Europeia, mas não vamos sair da Europa"
    0:40
  • Viver em Évora
    5:11
  • Projeto piloto no Porto com o objetivo de detetar Ambliopia em crianças
    1:16

    País

    São resultados que dizem respeito apenas ao Grande Porto, mas que podem dar uma ajuda para traçar o panorama nacional: 13% das crianças que participaram num rastreio à saúde visual tiveram de ser encaminhadas para consultadas da especialidade. O projeto piloto foi implementado em quatro concelhos do norte do país, mas pode ser alargado.

  • Presidente catalão garante ter plano de contingência
    2:14